Por pbagora.com.br

Mestre e doutor em Direito, o jurista Ricardo Sérvulo conversou com o PB Agora e destacou a importância de avaliar com cautela a decisão tomada na tarde desta segunda-feira (8) pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin. Fachin anulou as condenações do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no âmbito da Operação Lava Jato.

Para Ricardo Sérvulo, a decisão traz com ela um clima de incerteza muito forte dentro do sistema jurídico brasileiro por várias razões, pois trata-se de um processo, segundo ele, visto e revisto pela Justiça em três instâncias. “Há anos que esse processo vem se desenrolando dentro das hostes do Poder Judiciário e apenas agora é que se nota uma nulidade quando o próprio Supremo Tribunal Federal já tinha a oportunidade de analisar esse processo que está em julgamento, que gera efeitos jurídicos nas condenações do ex-presidente Lula”, argumentou o advogado.

O jurista avalia que é preciso analisar a decisão do ministro Fachin sem paixões ideológicas, pois a instituições republicanas precisam de um equilíbrio mínimo para que as suas próprias decisões possam ser respeitadas e dignas de credibilidade. “Isso influencia não só dentro do sistema jurídico brasileiro, como quem está fora, a exemplo dos demais países, os investidores, a cena mundial, como enxergam o Brasil e como enxergam o sistema de aplicação de leis e distribuição de justiça”, explicou Ricardo Sérvulo.

O professor de Direito Constitucional questionou a morosidade na observação do processo para que se chegasse hoje a decisão adotada pelo ministro, resultando numa aflição e uma repercussão mais ampla, pois influenciou todo o sistema de escolha eleitoral. “Respeito a decisão do ministro Edson Fachin, mas vejo com muita preocupação. O que iremos dizer aos nossos alunos sobre segurança jurídica? A cada instante os “humores jurídicos” mudam e não só nesse caso, mas de um modo geral. Vejo com preocupação para a estabilidade jurídica do país e, com tudo isso, a estabilidade democrática e republicana”, concluiu o jurista.

 

PB Agora

Notícias relacionadas

Estados liderados por bolsonaristas encabeçam mortes por covid-19; veja posição da Paraíba

Um estudo feito pela unidade de inteligência do portal Congresso em Foco mostra que os estados que mais votaram em Jair Bolsonaro no primeiro turno das eleições presidenciais de 2018…

Mesmo sob novo comando, CMCG é criticada por ‘dormir nas suas atribuições’

A mudança de comando na presidência da Câmara Municipal de Campina Grande (CMCG) em nada alterou o andamento do trabalho legislativo. Pelo menos é essa a percepção do vereador Olímpio Oliveira…