Por pbagora.com.br

 

O juiz João Batista Barbosa, do Tribunal Regional Eleitoral, determinou o arquivamento do inquérito policial contra a prefeita de Monteiro, Ednacé Alves Silvestre Henrique e o seu vice, Eugênio Henrique Barbosa. Eles eram acusados de realizar doação de serviços de perfuração de poços artesianos a eleitores em troca de voto.

A Polícia Federal concluiu “não haver indícios que autorizem a promoção do indiciamento dos investigados”. Já o Ministério Público Eleitoral deu parecer pelo arquivamento do inquérito, alegando a inexistência de elementos caracterizadores do delito, previstos no artigo 299 do Código Eleitoral.

“Destaque-se que todos os inquiridos no presente feito afirmaram que não houve a alegada doação de perfuração de poços artesianos, o que impossibilita o enquadramento típico descrito no art. 299 do Código Eleitoral”, diz em seu parecer a Procuradoria Regional Eleitoral.

Acompanhando o parecer do Ministério Público Eleitoral, o juiz João Batista Barbosa determinou o arquivamento da denúncia, por entender que “não restou evidenciada a justa causa para o prosseguimento das investigações, menos ainda para o ajuizamento da ação penal, vez que ausente um mínimo probatório suficiente para indicar indícios de autoria e de materialidade de suposta infração penal eleitoral”.

 

 

Lana Caprina

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

João garante presença em reunião com bancada da PB: “Faço questão”

O governador João Azevêdo vai se reunir, na próxima segunda-feira (07), em Brasília com o grupo de planejamento para definir as obras e prioridades que vamos apresentar ao deputado federal…

Mais um prefeito paraibano é internado com covid-19

Após o prefeito Francisco Dutra (Barão), do município de Brejo do Cruz, ser internado em decorrência da contaminação pelo novo coronavírus, mais um gestor municipal foi hospitalizado por causa da…