Por pbagora.com.br

No primeiro debate entre os candidatos ao Governo da Paraíba João Azevêdo, José Maranhão, Lucélio Cartaxo e Tárcio Teixeira apresentaram as táticas que provavelmente usarão durante toda a campanha.

João Azevêdo, que é o candidato do Governo pelo PSB e enfrenta sua primeira disputa eletiva, se apresentou como o nome que garante a continuidade do desenvolvimento do estado da Paraíba, defendendo desta forma a atual gestão do governador Ricardo Coutinho, da qual fez parte como secretário. "Eu represento a possibilidade da Paraíba continuar com esse projeto que é exitoso e que mudou a vida de milhares de pessoas no estado".

Buscando seu quarto mandato, o senador José Maranhão, do MDB, apostará na sua experiência política de mais de 60 anos de vida pública.  O emedebista fez questão de destacar que seu nome não aparece em nenhum dos escândalos que surgiram na política brasileira nos últimos anos. "Uma crise nacional afeta as figuras mais expressivas do país, como presidente, senadores e deputados, é importante ter ficha limpa. O povo valoriza muito quem se comporta com ética e honestidade", argumentou.

Representando a oposição ao atual governo, Lucélio Cartaxo, do PV, que em 2014 concorreu ao Senado Federal Pela, deve usar o modelo de gestão implantado por seu irmão, o prefeito de João Pessoa para embasar suas propostas para o estado. "É um modelo de gestão com sucesso que será levado para toda a Paraíba", declarou.

Tárcio Teixeira, do PSOL, representa a esquerda e promete um discurso afiado para debater com os adversários. Ele lembrou que o debate é o momento de se contrapor as atuais propostas apresentadas pelas chapas. "É preciso fazer um debate político e técnico pra dizer de fato quais são as alternativas existentes para o nosso estado", explicou.

""

1º rodada de perguntas:

No segundo bloco do debate, o responsável por abrir a rodada de perguntas foi o candidato José Maranhão. O emedebista questionou Tárcio Teixeira sobre mobilidade urbana, no entanto, o candidato do PSOL rebateu apresentando à população a relação entre o senador José Maranhão e o presidente da República Michel Temer. Tárcio cobrou de Maranhão explicações sobre ter votado a favor pelo congelamento de gastos. "O senhor deveria ter se preocupado quando aprovou a emenda constitucional com Temer, encolhendo nosso orçamento pra Saúde, Educação e Habitação". O senador José Maranhão respondeu que suas escolhas políticas não importam, mas sim o que ele representa como administrador. "Pouco importam as questões políticas o que importa é o administrador", afirmou Maranhão.

O candidato da oposição, Lucélio Cartaxo, direcionou sua primeira pergunta ao candidato da situação, João Azevêdo e assunto foi a segurança pública da Paraíba. . Lucélio disse que a população vive um momento de extrema insegurança. "Você como candidato do atual governo vai manter essa política de segurança pública atual?". João Azevêdo apresentou a Lucélio dados da Segurança do Estado apontando que a Paraíba é o quarto estado que mais investe em segurança no país e acusou Lucélio de não estar informado sobre os números reais da violência. "É preciso que o senhor se informe. É preciso que as pessoas se informem para debater sobre o assunto", declarou João Azevêdo.

Na segunda rodada de perguntas, foi a vez de João perguntar a Lucélio sobre segurança hídrica na região de Santa Inês. Cartaxo argumentou que sua proposta de investimentos buscará gerar principalmente emprego e renda na região. "Vamos fazer com que os investimentos em recursos hídricos fortaleçam a economia", disse Lucélio. Para João, Lucélio demonstrou desconhecer a localidade e rebateu. "A região que eu perguntei ao senhor, não sei se o senhor sabe onde é, ela fica próxima a região de Conceição e na cabeceira do Vale do Piancó e é preciso que a gente tenha um olhar diferenciado pra lá", disse Azevêdo. "O candidato agora quer me dar aula de geografia", criticou Lucélio.

Frente a frente com Lucélio, Tárcio afirmou que o senador Cássio Cunha Lima (PSDB) seria "seu padrinho poítico" e desejou saber qual será a função do tucano na sua gestão, ressaltando que Cássio seria ficha suja. Lucélio respondeu dizendo que a aliança construída visa a melhoria de vida do povo paraibano. "Temos uma aliança política, uma aliança forte, uma aliança que conseguiu fazer uma chapa importante, com equilíbrio entre homens e mulheres".  

3º bloco:

No retorno para o terceiro bloco, Maranhão voltou a ficar frente a frente com João Azevêdo e quis saber qual será o papel de Lígia Feliciano, candidata a vice, na sua possível gestão. "A vice-governadora terá um papel fundamental no nosso projeto. Ela foi testemunha de que esse projeto tem um encaminhamento que interessa a sua continuidade ao povo da Paraíba", respondeu João, lembrando que a candidata a vice-governadoria e atual vice governadora tem sido de extrema importância para a atual gestão.

Ao questionar Tárcio Teixeira, Lucélio preferiu falar em transparência pública e ressaltou que a Capital paraibana tem investido no setor e que por isso João Pessoa tem a gestão mais transparente do Brasil entre as capitais. Tárcio declarou não haver transferência na Saúde da Capital e citou que a população encontra problemas quando se fala em realização de consultas. "A dificuldade que existe em saber sobre consultas e exames. A forma de saber o que há de mais rico no SUS, que é a descentralização do sistema, infelizmente está sendo destruído", relatou. Tárcio ainda cobrou transparência nas obras da Lagoa, feitas pela Prefeitura Municipal de João Pessoa.  "Cadê a transparência na Lagoa, na barreira do Cabo Branco?".

Lucélio voltou a falar em Saúde e prometeu a construção do Hospital de Trauma do Sertão e quis saber de Maranhão qual sua proposta para o segmento. Maranhão garantiu que essa ideia seria sua e disse que Lucélio foi oportunista. "Eu acho é graça, Lucélio, que você tenha copiado a ideia que eu lancei trinta dias antes de você ter feito o mesmo anúncio", afirmou Maranhão. "Essa ideia surgiu da própria população", justificou Lucélio.

4º bloco

No quarto bloco do primeiro debate entre os candidatos ao Governo da Paraíba, João Azevêdo, José Maranhão, Lucélio Cartaxo e Tárcio Teixeira puderam conversar sem serem interrompidos pelo mediador. A ideia, de acordo com a emissora, foi uma inovação com o objetivo de permitir que os candidatos realizem um verdadeiro duelo de propostas.

Lucélio, em conversa com José Maranhão, apresentou propostas para a economia do estado e disse que pretende abrir a Granja Santana, residência oficial do governador, para o público, a transformando em um parque para o lazer dos paraibanos. "Essa ideia que você está tendo para a Granja Santana é velha e eu tenho uma ideia muito mais nova", disse Maranhão, acrescentando que planeja transformar a Granja em um "centro de informação de tecnologia e informática para os jovens".

Tárcio pediu que João Azevêdo explicasse sobre "cinco salários" que o ex-secretário de estado receberia e, que segundo o candidato ao PSOL, ultrapassa o valor de R$ 45 mil. João destacou que é aposentado como servidor do Estado, professor do Instituto Federal da Paraíba e negou que receba salário no valor citado por Tárcio. "Eu tenho um salário de professor e fui engenheiro por mais de 30 anos e tive o direito de me aposentar", finalizou Azevêdo.

 

PB Agora

Notícias relacionadas

Queda de energia em JP obriga Câmara a adiar audiência sobre a LDO 2022

A audiência pública para discutir a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para o exercício financeiro de 2022, que estava agendada para ocorrer nesta terça-feira (15), às 11h, foi adiada para…

Mulher vítima de violência denuncia marido à Polícia Civil, na capital

Uma mulher denunciou o marido por agressão doméstica na noite de ontem (15), em João Pessoa. O crime aconteceu no bairro Costa Silva, por volta de 23h30. À polícia, a…