Por pbagora.com.br

Passou o primeiro trimestre do governo Bolsonaro no executivo federal, mas as dúvidas e indefinições sobre as políticas públicas prevalecem. Assim como não apresentou muita coisa de concreto durante a campanha eleitoral, o presidente Jair Bolsonaro, do PSL, pouco avançou no tocante ao que realmente irá realizar no quesito gestão pública. Nessa quinta-feira (04) foi a vez do governador da Paraíba, João Azevêdo (PSB), levantar questionamentos e também fazer uma cobrança pública sobre o que os Estados podem esperar dessa nova gestão.

Para o socialista, o governo federal deve apresentar o quanto antes as propostas que tem para o Brasil em vez de ficar remoendo apenas a Reforma da Previdência, que desde janeiro está no foco das atenções.

 “Nós estamos vivendo hoje um momento no Brasil em que as políticas não estão definidas, para nenhum segmento e nós esperamos que a discussão saia única e exclusivamente da Reforma da Previdência, porque fica sempre moendo em cima desse tema e a gente sabe que o país precisa caminhar em todas as direções, Qual é a política para o investimento? Qual é a política para a Educação? Qual é a política para Segurança? Qual é a política para a Saúde? Isso nós não sabemos hoje. Eu espero que o Governo Federal comece a apresentar o que é que ele pensa e vai fazer em todos esses segmentos", arrematou.

 

PB Agora

 


Leia mais notícias sobre o mundo jurídico no Portal Juristas. Adquira seu certificado digital E-CPF ou E-CNPJ com a Juristas. Entre em contato através do WhatsApp (83) 9 93826000

 

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Efraim Filho parabeniza aliados que obtiveram êxito na disputa eleitoral deste ano

O deputado federal Efraim Filho (DEM) celebrou as vitórias das prefeitas Lili Oliveira (DEM), de Marcação, e Elissandra Brito (DEM), de Itapororoca, assim como a eleição de Serginho Lima (DEM)…

Opinião: Cícero não pode declarar “já ganhou” e Nilvan desistir, pois a votação ainda não aconteceu

O artigo de hoje não terá preâmbulo. Ele não irá “passear” no cosmos. Haverá, sim, uma “Conversa Afiada” como diria o saudoso Paulo Henrique Amorim. E claro; o diálogo terá…