Diferentemente do deputado estadual Júnior Araújo (Avante), que tachou de oportunista a postura do grupo liderado pelo prefeito de Cajazeiras, Zé Aldemir (PP), por ensaiar uma aproximação do Governo João Azevêdo (PSB), o deputado estadual Jeová Campos (PSB) evitou polemizar a articulação e disse que caberia ao próprio governador decidir se aceita ou não uma aliança.

O socialista disse que, da mesma maneira que não se envolve em questões que envolvem parlamentares de outros partidos, também não opinará sobre as movimentações de terceiros.

“Vamos por parte. Vejo muita gente falando dos problemas que há no PSB. Eu não sou do PP, eu sou do PSB. Pelo PP fala Paula, fala José Aldemir, e com relação a um partido integrar a base do governo essa relação se define entre o partido e o governador. Eu não tenho autoridade para falar se um deputado deve ou não compor com a base do governo”, desconversou.

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

“RC pode sair mais forte”, diz Lula sobre investigações da Calvário sobre o socialista

Numa entrevista neste domingo (26), ao site ao Uol, o ex-presidente Lula (PT) disse que o ‘companheiro’ e ex-governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB), pode sair da Operação Calvário ainda…

Procurador comenta supostas ameaças de prefeito do Sertão a moradores de Quilombola

Uma denúncia formulada junto a Ministério Público Federal (MPF), por meio do procurador do MPF em Patos, Djalma Feitosa, está ganhando repercussão na mídia sertaneja. Trata-se que moradores do Quilombola…