O governador José Maranhão viajou para Brasília, no início da tarde desta segunda-feira (2), logo após dar posse a mais um grupo de auxiliares. Na Capital Federal, ele vai se encontrar com a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, entre outros ministros, com o objetivo de buscar entendimento sobre projetos comuns e apresentar reivindicações de inclusão de novos projetos no PAC – Programa de Aceleração do Crescimento.

Segundo Maranhão, a Paraíba não foi bem contemplada no PAC e ele próprio quer ser o porta-voz desse descontentamento de toda a sociedade paraibana. Ele disse que pretende inserir outras obras de maior amplitude e repercussão na vida econômica do estado dentro do programa do governo federal.

Uma das solicitações do governador é a inclusão do Porto de Cabedelo, que, segundo ele, será necessário aumentar mais 5 metros do seu calado, cuja bacia de evolução é toda forrada de rocha. Maranhão observou que a Paraíba não tem um porto, justificando que o porto não tem capacidade nem calado para receber navios de grande porte, sendo necessário elevar o cais para uma profundidade de 15 metros. “Vamos começar aprofundando a partir da bacia de evolução, que é aquela área portuária que começa no alto mar e chega até o costado do porto”, explicou.

Maranhão anunciou também que em Brasília tratará da Transnordestina. Segundo ele, somente o território da Paraíba foi tangenciado – “não adentrando em nosso território”. Garantiu que vai continuar perseguindo esse projeto, por ser macro e de grande repercussão na vida econômica e social do estado. Ele comentou ainda que, além do Porto de Cabedelo e da Transnordestina, está estudando outros projetos para apresentar ao Governo do presidente Lula.
 

 

 

SECOM

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Lula pede que STF compartilhe as conversas da Vaza Jato

A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) apresentou nesta terça-feira (13) um habeas corpus para que o ministro do STF Alexandre de Moraes divulgue as conversas em…

“Protagonizaram essa saída de Edvaldo e ele agigantou-se”, diz líder sobre Rosas

O mandato do presidente estadual do PSB da Paraíba, Edvaldo Rosas, vai até o final de 2020 e assim deve ser concluído. Só após esse período é que o comando…