A Paraíba o tempo todo  |

Gestão de Bayeux é investigada por indícios de superfaturamento em locação de tomógrafo

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

 A Prefeitura de Bayeux, sob a gestão da atual prefeita, Luciene de Fofinho (PDT), está sendo investigada, mais uma vez, pelo Ministério Público da Paraíba (MPPB). Desta vez, a suspeita é de superfaturamento na locação de um tomógrafo para auxiliar no diagnóstico de casos de covid-19.

No ano passado, a gestão de Luciene fechou contrato por dispensa de licitação com a empresa Clindimagem Clínica de Diagnóstico por Imagem LTDA. para locar um tomógrafo no valor de R$ 404 mil.

Após denúncias de sites e blogs a respeito do superfaturamento do contrato, a promotora do caso, Maria Edlígia Chaves Leite abriu uma Notícia de Fato para apurar o caso e constatou que a empresa tem apenas um empregado declarado na Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) e capital social que varia, apenas, de R$ 10 mil a R$ 50 mil – valor quase dez vezes inferior ao contrato firmado.

Além disso, o tomógrafo locado possui apenas um canal de imagem, enquanto que os aparelhos de tomografia mais comuns possuem 16 canais “ou seja, aparentemente, o tomógrafo locado por meio do Contrato Administrativo nº 00164/2020- FMS-PMBEX é bem simples”, pontua a promotora.

O inquérito busca averiguar os indícios de lesão aos princípios da Administração Pública, enriquecimento ilícito e dano ao erário público.

Confira o documento na íntegra:

PB Agora

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe