Liderada pal deputada estadual Cida Ramos (PSB), a Frente Parlamentar em Defesa da Previdência Social, entregou nesta terça-feira (30) uma carta direcionada aos Senadores paraibanos, em especial ao socialista Veneziano Vital do Rêgo, mostrando a gravidade da PEC 06/2019 do governo Bolsonaro. O documento foi subsidiado a partir de Sessões Especiais, Audiências Públicas, Plenárias Populares e Reuniões com diversos segmentos da sociedade civil.

A parlamentar afirmou que a proposta de nova previdência é a mais cruel já apresentada por um governante ao povo brasileiro.

“O futuro da nação brasileira como país fraterno e socialmente justo está em jogo. Essa reforma, caso seja aprovada, termina com a era dos direitos sociais no Brasil, e mais do que isso, acaba com o sistema de previdência e seguridade públicos e solidários. As paraibanas e paraibanos confiam no voto dos nossos parlamentares e exigem a posição contrária a essa grave retirada de direitos. O desmonte tramado por essa reforma atinge todo o povo trabalhador”, pontuou.

Titular da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), o senador Veneziano Vital do Rêgo, alertou para os efeitos danosos da reforma.

Ao receber a carta, Veneziano Vital explicou que não houve discussões suficientes com a população para que a reforma possa ser aprovada. Ele observou que , “as pessoas ainda não compreendem os graves prejuízos que podem ser causados por esse projeto” e ainda ressaltou que a carta entregue pela Frente, é fundamental para amparar nossa posição no Senado.

A carta destaca que a reforma da Previdência tem como base a desconstitucionalização, uma vez que novas alterações na previdência serão feitas por simples Lei Complementar, que requer maioria simples, e não como atualmente, por Emenda Constitucional, evitando o debate na sociedade que impõe o rito de quórum qualificado de 2/5 e dois turnos nas duas casas do Congresso.

O texto da proposta da reforma da previdência (PEC 06/19) foi aprovado em primeira votação no dia 13 de julho de 2019. Seu conteúdo foi analisado pelo Plenário no dia 12 do mesmo mês e posteriormente passou pela Comissão Especial, a qual tem incumbência de preparar a redação para o segundo turno de votações que ocorrerá no Senado, sendo necessários pelo menos 49 votos a favor, do total de 81 senadores para aprovação.

Em recente pronunciamento no Plenário, Veneziano criticou o que ele chama de pressão do governo federal sobre os membros das Casas legislativas para uma aprovação rápida e imediata da reforma da Previdência. Ele ressaltou o papel do Senado e da Câmara dos Deputados no debate e decisão sobre o tema.
Para Veneziano, em um regime democrático, como o do Brasil, as decisões precisam ser tomadas após um abrangente debate.

PB Agora

Total
1
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Tárcio, do PSOL, protocola queixa-crime contra vereador de João Pessoa

O ex-candidato a governador pelo PSOL, Tárcio Holanda Teixeira, protocolou uma queixa-crime na justiça paraibana contra o vereador pessoense Carlos Henrique da Costa Santos, conhecido como Carlão da Consolação que…

Deputado prevê debandada de políticos na PB para partido de Bolsonaro

Aliado do presidente da República Jair Bolsonaro, o deputado estadual Moacir Rodrigues, atualmente filiado ao PSL, mas que já sinalizou que sairá do partido, afirmou que diversas lideranças paraibanas devem…