Por pbagora.com.br

 Reportagem da revista Época deste final de semaa, afirma que o ex-ministro Antônio Palocci recebeu R$ 12 milhões de empresas quando coordenava a campanha eleitoral de Dilma Rousseff à Presidência, em 2010.

Segundo investigação do Ministério Público Federal a que a revista teve acesso, cerca de 30 companhias fizeram pagamentos ao ex-ministro e à sua empresa, a Projeto.

Entre os repasses considerados suspeitos pelo MPF estão R$ 5,5 milhões do Pão de Açúcar e R$ 6,5 milhões pagos pelo frigorífico JBS e pela concessionária Caoa.

No caso da Caoa, o pagamento de R$ 4,5 milhões seria referente a um contrato para firmar novas parcerias e negócios com produtores de carros chineses.

A empresa nega qualquer parceria ou contrato com o ex-ministro e Palocci não se pronunciou sobre o caso.

O MPF suspeita que o repasse esteja ligado à MP 512, que estendeu o prazo para isenções fiscais a montadoras, o que beneficiou a Caoa, originária da Paraíba.

A medida foi aprovada em abril de 2011, quando Palocci era chefe da Casa Civil.

Em nota, o ex-ministro disse que os contratos não podem ser divulgados por cláusula de confidencialidade e que respondeu a todos os questionamentos do MPF "há tempos, inclusive com envio de todas as informações contratuais, contábeis, financeiras e tributárias".

 

Época e Jornal O Globo

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Ruy Carneiro garante investimentos no Brejo paraibano

Com uma intensa agenda de trabalho no final de semana, o deputado federal Ruy Carneiro esteve em Guarabira para visitar a Fazenda Esperança, que realiza trabalho voluntário na reabilitação de…