Por pbagora.com.br

Uma ex-apoiadora do prefeito Jair da Farmácia, da cidade de Cuité de Mamanguape, identificada como Adriana Ferreira Gomes, denunciou um esquema de rachadinha onde, segundo ela, o prefeito nomeava correligionários e ficava com todo ou parte dos salários.

Adriana ainda diz que ela e outras pessoas foram enganadas pelo gestor, que teria somado um valor de mais de 2 milhões e quinhentos mil reais no suposto esquema.

A acusação vai ao encontro de decisão do Ministério Público da Paraíba que no mês de junho acionou na justiça a prefeitura, pedindo a inconstitucionalidade de leis municipais que foram usadas para contratar servidores através de cargos comissionados e contratos por excepcional interesse público, afrontando a regra constitucional.

Esse inclusive não é o primeiro processo contra o prefeito que está em andamento. No ano passado, uma outra investigação do MPPB ligou o prefeito afastado a um esquema de desvio de recursos públicos com fraudes na contratação de prestadores de serviços no Município e no Fundo Municipal de Saúde (FMS), tendo Jair sido afastado do cargo por um período de 180 dias, tendo voltado ao cargo por força de uma medida cautelar.
PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Calvário: PGE não descarta responsabilizar autor de fake news contra o governo

O Procurador Geral do Estado da Paraíba, Fábio Andrade, desmentiu, durante entrevista nesta tarde a informação divulgada, na manhã desta terça-feira (27), por veículos de imprensa nacionais sobre a informação…

Polícia Federal usa drones para fiscalizar eleições 2020

A Polícia Federal, com o objetivo de auxiliar na prevenção e repressão de crimes eleitorais, utilizará 100 Aeronaves Remotamente Pilotadas (drones), em todo o território nacional nas Eleições 2020. Os…