Por pbagora.com.br

O deputado estadual Adriano Galdino emitiu nota na tarde desta segunda-feira, 13, onde declarou que no período apontado por Livânia durante delação, ele se encontrava licenciado do mandato de deputado, desta forma sem participar das votações na Assembleia Legislativa.

Ainda na nota o presidente da ALPB destaca que defende o trabalho do Minsitério Público, mas que delações não podem ser consideradas provas.

Confira:

Nota

Parte da imprensa paraibana divulgou nesta segunda-feira, 13, trecho da delação da ex-secretária Livânia Farias, onde ela relata que entre os anos de 2013 e 2014, em legislatura passada, teriam sido realizados repasses financeiros a deputados para votação em matérias a favor do governo.
O deputado Adriano Galdino, diante da citação do seu nome, vem a público:

1. Esclarecer que entre os anos 2012 e 2014 estava licenciado do mandato de deputado estadual atuando como secretário de Governo, ou seja, sem participar dos debates e votações na Assembleia Legislativa.

2. O deputado destaca ainda que defende o trabalho do Ministério Público em toda e qualquer investigação, se coloca a disposição das autoridades, mas reafirma que o instrumento da delação por si só não pode ser considerado prova

Adriano Galdino
Deputado Estadual

PB Agora

Notícias relacionadas

Vené e Nilda destinam R$ 7,5 mi ao OGU 2021 para o Centro de Convenções de CG

Os senadores Veneziano Vital do Rêgo (MDB-PB) e Nilda Gondim (MDB-PB) destinaram, de suas emendas pessoais ao Orçamento Geral da União – OGU 2021, R$ 7,5 milhões para a construção…

Cícero anuncia adesão ao consórcio nacional para adquirir vacinas

Nesta terça-feira (02) o prefeito Cícero Lucena irá anunciar durante entrevista coletiva a adesão ao consórcio público para aquisição de vacinas contra a Covid-19. De acordo com nota da Secretaria…