O deputado estadual Adriano Galdino emitiu nota na tarde desta segunda-feira, 13, onde declarou que no período apontado por Livânia durante delação, ele se encontrava licenciado do mandato de deputado, desta forma sem participar das votações na Assembleia Legislativa.

Ainda na nota o presidente da ALPB destaca que defende o trabalho do Minsitério Público, mas que delações não podem ser consideradas provas.

Confira:

Nota

Parte da imprensa paraibana divulgou nesta segunda-feira, 13, trecho da delação da ex-secretária Livânia Farias, onde ela relata que entre os anos de 2013 e 2014, em legislatura passada, teriam sido realizados repasses financeiros a deputados para votação em matérias a favor do governo.
O deputado Adriano Galdino, diante da citação do seu nome, vem a público:

1. Esclarecer que entre os anos 2012 e 2014 estava licenciado do mandato de deputado estadual atuando como secretário de Governo, ou seja, sem participar dos debates e votações na Assembleia Legislativa.

2. O deputado destaca ainda que defende o trabalho do Ministério Público em toda e qualquer investigação, se coloca a disposição das autoridades, mas reafirma que o instrumento da delação por si só não pode ser considerado prova

Adriano Galdino
Deputado Estadual

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Suplente toma posse na CMJP em função de vereador licenciado

 Renato Martins (Avante) assume vaga deixada por Tanilson Soares (PSB), que solicitou licença para tratar de assuntos particulares A Mesa Diretora da Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP) deu posse,…

Ministra Rosa Weber mantém prazo para filiação partidária

A Ministra Rosa Weber, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) indeferiu pedido liminar de suspensão do prazo fatal para filiações partidárias por causa da pandemia do coronavírus e manteve o…