A Paraíba o tempo todo  |

Em entrevista ao PB Agora, Romero ignora carta aberta com insatisfações de Eva e diz que sequer viu teor de documento

Ex-presidente estadual do PSD da Paraíba e atual pré-candidato a deputado federal pelo PSC, o ex-prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues, evitou comentar o teor da carta aberta divulgada ontem pela vereadora Eva Gouveia (PSD) no tocante à sua insatisfação com o partido à época em que o ex-gestor geria a legenda.

Em contato com o portal PB Agora na tarde desta sexta-feira (1º) Romero evitou comentar o tema e revelou que sequer viu o teor do documento. Romero foi questionado pela reportagem se teria alguma resposta às insatisfações da ex-colega de partido e respondeu da seguinte forma: “Não vi amigo, Deus lhe abençoe e boa tarde”, disse em resposta curta, encerrando o assunto.

ENTENDA

Na carta divulgada ontem, Eva relatou o que classificou de ‘algumas das homéricas brigas’ que travou e algumas das agressões que sofreu lutando para defender o seu partido na Paraíba.

“Calei nas muitas agressões que recebi, porque no fundo me sentia envergonhada de naquele momento dividir com a Paraíba as crueldades que sofri, as mensagens no mínimo indelicadas e desrespeitosas e que tiveram o objetivo de me diminuir pela condição de mulher, de viúva, achando que isso me tornava frágil”, disse em trecho da carta.
Sobre as mensagens citadas pela vereadora, ela revela que “na hora certa”, irá compartilhar na íntegra para mostrar as agressões que sofreu.

Eva também citou o prefeito de Campina Grande, Bruno Cunha Lima (PSD), que no início deste ano, enquanto Eva assumia o cargo de secretária executiva de Articulação Política, no governo João Azevêdo, Bruno chegou a dizer que Eva deveria “pedir para sair” do PSD.

“Tenho muito respeito por Bruno, ele sabe disso. Nos falamos quando eventualmente nos encontramos. Sei que ele não tem dúvidas de que teremos uma relação institucional respeitosa, mas não tenho o que dizer sobre as declarações dele, até porque são colocações pessoais e cada um tem o direito de se posicionar como acha que deve. E também ninguém é obrigado a concordar. Me limito a dizer que não concordo, até porque todos sabem das minhas posições e das razões pelas quais tomei posicionamentos diferentes”, escreveu a vereadora.

Eva finalizou a carta afirmando que torce para que Bruno faça “Campina precisa” e afirmou que jamais será um problema para a cidade.

“Faço oposição ao modelo de condução política, mas jamais ao que for bom para Campina Grande. Seja como vereadora ou em qualquer outro espaço que o voto popular, a confiança de Campina e da Paraíba venha a me levar”, concluiu.

 

Redação

PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe