Em encontro que reuniu prefeitos e secretários de Saúde de 523 municípios de São Paulo, o governador José Serra (PSDB) criticou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o PT, principal adversário dos tucanos.

 

Ao anunciar repasses de recursos estaduais para municípios reformarem UBSs (Unidades Básicas de Saúde), Serra criticou a propaganda maciça do governo federal que, segundo ele, deixa a impressão de que investe mais do que Estados e municípios.

 

“70% dos investimentos [da administração pública] não são feitos pelo governo federal. São feitos pelos Estados e municípios. As vezes não é o que parece, por causa de toda a propaganda”, afirmou.

 

Segundo Serra, há casos de prefeituras do PT que “pirateiam” obras do Estado, escondendo sua autoria.

 

“É importante [que a população saiba quem está fazendo a obra], porque aqui em São Paulo tem governo do PT que pega a obra e não põe que é do governo do Estado. Escondem”, disse o governador, citando o caso de Hortolândia como exemplo.

 

O encontro de Serra com prefeitos contraria a posição do PSDB, que hoje entrou com uma representação contra o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) por propaganda eleitoral antecipada.

 

O PSDB e o DEM, que também assina a ação, sustentam que Lula e Dilma usaram o encontro nacional de prefeitos realizado em Brasília na semana passada para divulgar a pré-candidatura da petista ao Palácio do Planalto.

 

Serra, porém, negou a conotação político-eleitoral do encontro. “Nada do que estou dizendo é coisa para mídia. Esta é uma reunião de trabalho”, afirmou.

 

Durante seu discurso aos prefeitos e secretários, Serra também numerou seus feitos no governo enquanto foi ministro da Saúde, sendo aplaudido pela plateia diversas vezes. Ao final, não escapou da sessão de fotos com prefeitos, que fizeram fila para aparecer ao lado do governador.

 

A questão eleitoral também foi evitada na conversa com os jornalistas. Serra encerrou a entrevista antes de falar sobre prévias no PSDB para escolha de candidato e a sucessão presidencial de 2010.

 

Segundo o blog do Josias, Serra informou a dois principais dirigentes do PSDB que aceita medir forças com o governador de Minas, Aécio Neves, numa eleição prévia para 2010.

 

Outro lado

O líder do PT na Assembleia Legislativa de São Paulo, deputado Roberto Felício, disse que não concorda com fato de que qualquer prefeito –do PT ou não– esconda a parceria de uma obra.

 

O petista aproveitou para devolver a crítica e disse que o governo de São Paulo é que esconde o fato de que a expansão do Metrô tem recursos do governo federal.

 

“Muitos paulistanos não sabem que [o Metrô] é uma obra do governo Lula. Não é exclusivamente [do governo Lula] mas contribui”, afirmou Felício.

 

Folha Online

 

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Duelo dos girassóis: foi deflagrado o rompimento do grupo político de RC e João

Fontes palacianas informaram ao PBAGORA que o caminho é sem volta. “Está rompido”, disse um interlocutor que não quis se identificar, referindo-se ao rompimento entre o ex-governador Ricardo Coutinho e…

RC cobra investigação para arrombamento de escritório em JP

O ex-governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB), presidente da Fundação João Mangabeira, está cobrando investigação para apurar o arrombamento de seu escritório, em João Pessoa, ocorrido na noite de ontem,…