Essa semana, após as últimas declarações do presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido, sobre o coronavírus, principalmente o polêmico pronunciamento em que ele desconsidera a gravidade do avanço do coronavírus, o governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM Democratas decidiu romper com o Palácio do Planalto.
Diante dessa situação, o deputado federal Efraim Filho (DEM), observou em entrevista a uma emissora de Campina Grande, que o rompimento não foi uma decisão do partido Democratas, e ocorreu por causa do pronunciamento de Bolsonaro em rede nacional, que recomendou que a população brasileira retome a sua rotina diante da pandemia do Covid-19.

O parlamentar enfatizou que o rompimento com o presidente Bolsonaro ainda não foi discutido pelo partido, sendo uma decisão tomada no ímpeto, pelo governador Ronaldo Caiado.

– Não é uma decisão de partido porque ela não foi discutida antes. Realmente, o governador Ronaldo Caiado tomou essa posição no ímpeto, mas é uma decisão que tem a sua visão compartilhada por muitas pessoas. O pronunciamento do presidente Bolsonaro deixou o Brasil perplexo. Enquanto ele vinha, durante a semana, junto com Mandetta, dizendo para as famílias ficarem isoladas socialmente, de uma hora para outra mudou – concluiu.

Severino Lopes
PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

“Não brinco de ser candidato”,diz Raoni ao descartar sair da disputa

Descartando qualquer possibilidade de dar ‘marcha ré’, na sua pretensão de disputar a prefeitura de João Pessoa, nas eleições deste ano, o pré-candidato a prefeito de João Pessoa, Raoni Mendes…

Galdino confirma articulação para derrubar veto sobre desconto em mensalidades escolares

Após a informação de que o Governo da Paraíba pretende vetar o Projeto de Lei 1.696/2020 que trata da redução das mensalidades de escolas e universidades privadas, enquanto as aulas…