Crise deflagrada. O vice-presidente estadual do PSB, Edvaldo Rosas, declarou na noite desta terça-feira (24) que o partido vai bater o martelo a respeito da fidelidade partidária e cobrar que as lideranças da legenda acompanhem os projetos do partido. “Não vamos mais aceitar intervenção branca dentro doPSB. A questão da fidelidade partidária vai ser pautada. Quem não aceitar os rumos do partido, vai ter que deixá-lo”, declarou Rosas, confirmando reunião do partido para avaliar, nesta quarta, a convocação do deputado Guilherme Almeida (PSB) para o governo Maranhão III permitindo a posse de Nadja Palitot na Assembléia.

“Exigimos respeito e vamos defender a autonomia dos partidos”, declarou Rosas. Segundo ele, o PSB é um partido que carrega flores numa mão e o machado na outra. “Estão querendo que a gente use o machado”, disparou.A abertura de possibilidade de posse de Nadja revoltou os socialistas aliados a Ricardo. Edvaldo Rosas disse que o PSB não vai comprometer seus projetos em razão das vontades alheias.

Ele reafirmou a intenção da legenda consolidar a candidatura de Ricardo Coutinho ao governo do Estado. “Não vamos abrir nem para um trem”, disse. Há algumas semanas, Rosas bate-boca pela imprensa com o deputado federal Manoel Júnior (PSB) que criticou abertamente possível aliança de Ricardo com o ex-governador Cássio Cunha Lima (PSDB).

“Tem que ser PSB ,ou está fora do partido”, declarou Rosas.

PB Agora

 

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Efraim Filho atua como bombeiro na relação entre Mandetta e Bolsonaro

O deputado federal Efraim Filho (DEM) revelou que tem conversado com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, também do Democratas, e  declarado apoio total, irrestrito e absoluto às decisões…

Bancada da PB desmente fake sobre rejeitar destinar recursos para combater Covid-19

Por meio de uma nota a bancada federal da Paraíba desmentiu uma fake news sobre votação de destinação de recursos eleitorais. Segundo a informação divulgada, os deputados teriam sido contra…