Não é todo político que tem coragem de reconhecer publicamente os acertos dos adversários. Para isso, é necessário, além de ser político, ser também um líder. Na atualidade, os pré-requisitos citados se encaixam bem a recente postura adotada pelo deputado estadual Eduardo Carneiro (PRTB), que apesar de estar em seu primeiro mandato a nível estadual mostra a desenvoltura de um veterano, com jogo de cintura, argumentos e muita persuasão.

O parlamentar é o vice-líder da bancada de oposição ao Governo João Azevêdo, mas, nem por isso fecha os olhos para os esforços que a gestão estadual faz para manter uma agenda positiva. Para ele, o parlamentar tem que cobrar soluções para os erros, mas também saber reconhecer os acertos.

 “A Paraíba não vive nesse céu de brigadeiro, mas o governo tem buscado cumprir uma agenda positiva, isso nós precisamos reconhecer, e também precisamos reconhecer algumas questões como por exemplo a ida dos secretários ao Poder Legislativo. Hoje nós somos 11 deputados de oposição, nós não fazemos oposição por oposição procuramos fazer uma oposição propositiva e obviamente que reconhecemos os acertos, e esse acerto de aproximar os deputados do poder executivo para que os secretários vão realmente ao poder legislativo isso é fundamental. Então nós precisamos reconhecer alguns acertos”, destacou em entrevista nesta quarta-feira (22).

Mas nem só de elogios vive a política. Eduardo lembrou que há algumas questões que precisam ser debatidas e massificadas a fim de que o governo faça a diferença na vida da população paraibana.

“Nós colocamos aqui pontualmente a questão dos concursos públicos, a questão da falta da política pública clara para a geração de emprego e renda e atração de novas empresas, isso aqui é uma crítica que nós fazemos, tem a questão da UEPB, a questão da segurança pública. Veja a cidade de São Bento o que foi que aconteceu nessa madrugada, dois bancos explodidos, a população em pânico”, elencou.

Eduardo disse que já apresentou um projeto no legislativo que visa, justamente, a transparência nos números da segurança pública, que já foi, inclusive, aprovado na Assembleia, faltando apenas ser sancionado pelo governador João Azevêdo.

EMENDA IMPOSITIVA

Como líder da oposição, Eduardo deixou claro que não apenas ele, mas toda a bancada, se une ao G10 e ao blocão quando o assunto é a Emenda Impositiva, que prevê uma quantia dos recursos do Estado para serem destinados pelos 36 parlamentares paraibanos.

“São diversos pontos que são divergentes, concordo com um fundamental sobre a importância da Emenda Impositiva. Nesse ponto estamos todos unidos, oposição, blocão e G10”, disse.

Atualmente, em todo o país, apenas seis Assembleias Legislativas não contam com a Emenda Impositiva e a da Paraíba erroneamente, segundo Carneiro, é uma delas.

Márcia Dias

PB Agora

 


Garanta um desconto especial na sua certificação digital no Juristas Certificados Digitais

 

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Congresso avalia abertura do setor de saneamento à iniciativa privada

Na tentativa de reverter os baixos índices de acesso a água e esgoto tratados no país, o Congresso virou palco de uma disputa de projetos para mudar as regras para…

“Tudo vai depender da situação de cada município”, diz Wilson Santiago sobre efeitos das mudanças eleitorais para 2020

Indicado pelo presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, como o coordenador  no Nordeste  responsável pelas eleições municipais de 2020, o deputado federal paraibano e presidente estadual do PTB Wilson Santiago,…