O governador João Azevêdo (PSB) justificou, nesta sexta-feira (02), em um discurso rodeado de elogios, a volta do jornalista Nonato Bandeira como sendo natural. As palavras de João se referem ao fato de Nonato já ter sido titular da pasta à época em que o ex-governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB), assumiu a gestão estadual, em 2011, e, portanto, ter na bagagem a experiência necessária para ocupar o posto.
João lembrou que Nonato domina a área da comunicação e saberá dar continuidade ao projeto.

“O secretário Nonato conhece como poucos a questão da Comunicação. Ele já foi secretário por diversas vezes e conhece a área, e claro, é um retorno a um espaço que ele domina perfeitamente”, disse.

Já sobre a escolha de Edvaldo Rosas, PSB, para ocupar a Secretaria de Governo, vaga que estava até ontem sob o comando de Nonato Barbosa, João estendeu os elogios, ressaltando que socialista é conhecedor da área política, além de fazer parte da construção do projeto socialista há anos.

“No caso de Edvaldo, a escolha foi feita por conhecer aquilo que ele vai fazer que é a área política, trabalhar na área política do governo, a secretaria de governo tem essa função porque coordena a Casa Civil e a Casa Militar, e Edvaldo tem contribuído com a construção desse projeto há muitos anos”, arrematou.

As declarações de João Azevêdo (PSB) foram concedias à imprensa, nesta manhã, logo após encontro com a bancada federal na Granja do governador.

 

Márcia Dias

PB Agora

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

“De minha parte não vou colocar nenhuma lenha na fogueira”, disse Veneziano sobre crise no PSB

Ainda sobre a entrevista do senador Veneziano Vital do Rêgo ontem (12), numa emissora da capital, quando questionado sobre a crise interna no PSB, o socialista adotou a medida do…

Opinião: Estaria o ex-governador Ricardo Coutinho forçando João Azevêdo se tornar um político tradicional?

Neste novo cenário que se constrói – a partir de um rompimento político entre ambos – estaria o ex-governador Ricardo Coutinho transformando João Azevêdo numa figura política, no sentido mais…