O deputado estadual Doutor Érico, do Cidadania, desmentiu durante entrevista ao programa Arapuan Verdade, na tarde desta quarta-feira (04), a informação divulgada pelo deputado Felipe Leitão (DEM) de que teria deixado o bloco G11 na Assembleia Legislativa por uma suposta pressão do partido Cidadania. Segundo o parlamentar, a decisão partiu de foro íntimo, no intuito de resgatar a independência no parlamento, visto que no âmbito do bloco a votação da maioria era sempre a majoritária. Ainda conforme o parlamentar, a atual conjuntura política de hoje é diferente da conjuntura que existia quando o grupo foi criado.

“Foi uma decisão de foro íntimo, uma reflexão que temos feito. Fui eleito, estou no primeiro mandato, e quando assumi tinha um panorama diferente do que hoje se encontra. Naquele momento integramos o G11, bloco formado para ajudar o governo, e ontem conversamos com os integrantes externando nossa decisão sobre o afastamento. Não houve pressão, mas sim uma reflexão interna de ser correto. Temos que avaliar o momento, os projetos que temos para 2020, e foi nesse sentido que decidi me afastar”, ressaltou.

Érico destacou ainda que é filiado ao Cidadania e o afastamento é uma independência para que ele possa votar as matérias externando sua decisão. Ele também alega que a saída se dá por conta das eleições 2020. O parlamentar é pré-candidato à prefeitura de Patos e quer se dedicar, a partir de agora, a esse projeto. “A saída do G11 foi mais uma reflexão para que eu possa construir o meu projeto de 2020. Tenho bom relacionamento com todos, mas acredito que cada um tem seu direito de seguir seu caminho na construção dos próprios sonhos e projetos”, arrematou.

 

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Romero minimiza calendário eleitoral e diz que foco é no combate ao Covid-19

Apesar de o calendário eleitoral está se estreitando, o prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues (PSD) avisou, durante entrevista essa semana, que manterá o foco no combate ao Coronavírus a…

Opinião – Covid-19 confirma as mazelas da nossa sociedade. A pior: a economia é prioridade sobre a vida

Lamentável a constatação de que, em meio a uma pandemia, aqui no Brasil, império de uma ignorância crônica, o interesse econômico dos bilionários está acima da vida humana. Pouco, ou…