A Paraíba o tempo todo  |

Deputado teme por número ‘recorde’ em abstenção, votos brancos e nulos nas eleições 2016

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

Após os votos brancos e nulos voltaram a crescer nas eleições presidenciais em 2014, o deputado estadual Trocolli Júnior (PROS) concedeu entrevista ao PB Agora nesta terça, 23, e mostrou-se preocupado com a possibilidade dessas estatísticas.

“Vocês vão constatar nessa eleição um grande número recorde de abstenção, votos brancos e nulos, a própria ausência das urnas e isso facilita e muito a vida dos politiqueiros pois eles roubaram muito, tem muito dinheiro guardado e compram um mandato, em detrimento aqueles que trabalham todo dia”, frisou.

ParaTrocolli existe um completo ‘descrédito’ por parte da população com os ‘politiqueiros’ e uma completa falta de cultura por parte do eleitor.

“É fundamental se educar as crianças a fazer as escolhas certas, estamos num pais onde 93% da população acha que os políticos são ladrões e corruptos e quando se chega um patamar de descrença nessa proporção estamos vendo o completo desinteresse e desmotivação para votar”, frisou.Segundo o parlamentar é indispensável que a educação proporcione a diferenciação entre o bom e o mau político.

NÚMEROS: O número de eleitores que se abstiveram ou optaram por votar em branco ou nulo nas eleições presidenciais somou 27% do total, segundo os números finais do Tribunal Superior Eleitoral, confirmados na manhã desta segunda-feira 6. A porcentagem é a maior desde 1998, quando essa soma ficou na casa de 36% do eleitorado.Com 100% das urnas apuradas, o número de votos em branco na disputa pelo Planalto foi de 4,4 milhões (3,84% do total de comparecimentos) e o de nulos, de 6,6 milhões (5,8% do comparecimento), enquanto pouco mais de 27,6 milhões de eleitores deixaram de comparecer às urnas, gerando uma taxa de abstenção de 19,39%. Juntos, esses eleitores somam 38,7 milhões de votos (27% de todos os aptos a votar), uma quantidade superior à votação do segundo colocado na disputa pelo Planalto, o senador mineiro Aécio Neves (PSDB).

Fenômeno semelhante ocorreu em 2010, quando os 34,2 milhões de votos brancos, nulos e abstenções (25,1% do total) ficaram “à frente” de José Serra (PSDB), que teve 33,1 milhões de votos. Em 2002, ocorreu o mesmo, quando a soma foi de 30,2 milhões (26,2%) e a votação do segundo colocado, também Serra, foi de 19 milhões. Em 2006, ano em que Geraldo Alckmin (PSDB) ficou em segundo lugar com 39 milhões de votos, nulos, brancos e abstenções somaram 29,9 milhões eleitores (23,7% do total).

 

Henrique Lima

PB Agora

 

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe