A Paraíba o tempo todo  |

Ministro da Saúde aborta especulação sobre disputar 2022: “Não trabalho com questão política”

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, durante entrevista coletiva.
CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE


Cotado para a disputa majoritária nas eleições de 2022, seja na Paraíba, seja no Rio de Janeiro, como candidato a Senador da República, o ministro da Saúde, o médico paraibano Marcelo Queiroga voltou a descartar a pauta política da sua agenda, durante entrevista nesta segunda-feira (09), ao programa Arapuan Verdade e ressaltou que seu foco se mantém na gestão sanitária.


Apesar de ser apontado pelo presidente Bolsonaro como um quadro que preenche os requisitos para a disputa eleitoral, Queiroga fez questão de ratificar sua dedicação à missão de gerir a saúde.


“Meu foco é exclusivo da gestão sanitária, eu não tenho tempo para outra coisa. Temos que estar atentos a todos os aspectos da gestão dessa pasta. Essas outras questões não são do momento, não trabalho com a questão política. Vamos em frente trabalhar com a missão que o presidente deu à frente do Ministério da Saúde e é isso que estamos fazendo”, disse.


Queiroga também comentou a possibilidade da desobrigatoriedade do uso da máscara, orientada pelo presidente Bolsonaro e ressaltou que ela só acontecerá com a contenção do caráter pandêmico e que à medida em que a vacinação for aumentando, novas medidas poderão ser anunciada.


“Queremos nos livrar da máscara, mas para isso é necessário que contenhamos o caráter pandêmico e a principal ferramenta é a vacina, vamos continuar avançando nesse sentido”, ressaltou.


O ministro também descartou a tese de desigualdade na distribuição das vacinas para os estados e reforçou que o planejamento do país atende ao que preconiza o Plano Nacional de Imunização que é reconhecido mundialmente e as decisões tomadas nesse ramo são de natureza técnica, o que contribui na distribuição igualitária para todos.


PB Agora

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      1
      Compartilhe