Foram registradas cenas de selvageria como a quebra de vidros de secretarias

Centenas de manifestantes do Movimento Sem Terra promoveram nesta segunda-feira (21) mais um protesto na capital paraibana. Desta feita o alvo foi o Centro Administrativo Estadual. O grupo reivindica uma audiência com o Governo do Estado para discutir a desapropriação de terras para o reassentamento de famílias.

Os manifestantes tomaram o estacionamento e impediram que funcionários saíssem e entrassem no prédio.
A Polícia Militar foi acionada e se dirigiu ao local com dezenas de viaturas. Ao chegarem ao local, foram recebidos com pedradas pelos manifestantes e reagiram com uso de bombas de efeito moral, balas de borracha e sprays de pimenta.

Também foram registradas cenas de selvageria como a quebra de vidros de secretarias e utensílios da edilidade estadual.

Crianças que acompanham os manifestantes choram desesperadas procurando escape. Há uma gritaria generalizada.

Os manifestantes continuam dentro do prédio e alguns funcionários estão procurando se evadir do local pulando os portões. “Não temos previsão para sair daqui”, declarou um dos um dos manifestantes. 

Dezenas de viaturas da PM ainda estão no local com centenas de policiais armados.

 

Ytalo Kubitschek 

PB Agora/Imagem do G1
 

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Raíssa Lacerda deixa o PSD e vai para o Avante comandado por Genival Matias

Há tempos demonstrando sua insatisfação com o PSD, legenda que ajudou a fundar na Paraíba, a vereadora Raíssa Lacerda anunciou nessa sexta-feira a sua desfiliação da sigla. Já era sabido…

Manoel Jr desiste da disputa pela PMJP e mira Pedras de Fogo

O vice-prefeito de João Pessoa, Manoel Júnior, atual presidente do Solidariedade na Paraíba, declinou da disputa pela prefeitura da Capital, nas eleições desse ano para voltar todos os seus esforços…