Por pbagora.com.br

A ministra Laurita Vaz, que é relatora da Operação Calvário no Superior Tribunal de Justiça irá julgar, junto com a 6ª Turma do STJ, nesta segunda-feira (7), às 14h, o habeas corpus apresentado pela defesa do ex-governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB) que pede a liberação definitiva do uso da tornozeleira eletrônica, bem como a suspensão de outras medidas cautelares, como, por exemplo, a que o impede de se ausentar do município de João Pessoa.

Caso o pedido seja deferido pelo STJ, Ricardo, que é apontado como líder da organização criminosa responsável pelo desvio de mais de R$ 130 milhões em verbas públicas do Estado da Paraíba, será o único beneficiado com a derrubada de medidas cautelares.

Além dele, a prefeita de Conde Márcia Lucena (PSB), e o irmão do ex-governador, Coriolano Coutinho, também fazem uso do equipamento restritivo imposto pela justiça.

Confira abaixo o print dos dados registrados no STJ:

Em setembro desse ano em um habeas corpus apresentado à Corte, Coutinho chegou a pedir permissão para deixar a comarca de João Pessoa e realizar viagens a Brasília, onde daria expediente durante a semana, mas a ministra Laurita Vaz, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), negou habeas corpus. Preso na Operação Calvário no ano passado, Coutinho utiliza tornozeleira eletrônica e é obrigado a ficar em casa durante a noite.

 

Redação

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Líder do governo destaca que gestão de João o “credencia” para a reeleição

Nesta quinta-feira (14), o líder do governo na Assembleia Legislativa da Paraíba, deputado estadual Ricardo Barbosa disse que vê com naturalidade o fato do governador João Azevêdo (Cidadania) ter apontado…

Veneziano lamenta falecimento do jornalista Fernando Soares e destaca qualidades do profissional

O Senador Veneziano Vital do Rêgo (MDB-PB) lamentou o falecimento do jornalista, radialista e ex-presidente da Associação Campinense de Imprensa – ACI, Fernando Soares, aos 53 anos, ocorrido na tarde…