Por pbagora.com.br

A prefeita do Conde, Márcia Lucena (PSB), foi alvo, nesta quinta-feira (23), de nova denúncia do Ministério Público da Paraíba. Ela é acusada pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) de ter recebido dinheiro da Cruz Vermelha Brasileira filial Rio Grande do Sul (CVB), em 2016, a título de suposta antecipação de propina. O rol de denunciados inclui ainda o ex-governador Ricardo Coutinho (PSB), a ex-secretária Livânia Farias (Administração), o empresário Daniel Gomes, mandatário da CVB, além de José do Nascimento Lira Neto e do ex-assessor da Secretaria de Administração do Estado, Leandro Nunes Azevedo.

Esta é a segunda denúncia protocolada no Tribunal de Justiça contra a prefeita, eleita em 2016. A primeira foi registrada em dezembro, quando, inclusive, ela chegou a ser presa, junto com Ricardo Coutinho. A nova denúncia diz respeito ao suposto recebimento de R$ 100 mil repassados pelo dirigente da Cruz Vermelha Brasileira, Daniel Gomes da Silva. De acordo com o relato dos investigadores, ele teria feito o pagamento mediante o compromisso da então candidata de que reproduziria no Conde o modelo adotado no Hospital de Emergência e Trauma, em João Pessoa, de gestão da saúde através de organizações sociais, no caso, da Cruz Vermelha.

A Câmara Municipal do Conde chegou a aprovar, em 2017, um projeto que permitia a contratação de organizações sociais pela prefeitura. Esse seria, segundo as investigações, o primeiro passo para a entrada da Cruz Vermelha na gestão.

“Após a aprovação do Projeto de Lei e a reunião com RICARDO COUTINHO conforme demonstrado acima, DANIEL GOMES DA SILVA é chamado por LIVÂNIA FARIAS para participar de uma reunião e, neste momento, é informado para incluir no custo mensal da terceirização da saúde do município do Conde/PB o valor de R$ 40.000,00 que seriam destinados a RCIA LUCENA”, diz a denúncia, acrescentando que técnicos da Cruz Vermelha chegaram a avaliar os cursos para a proposta de gestão da saúde no município.

A operação não teria sido concluída por causa da oposição do então vice-prefeito, Temístocles Ribeiro, que acabou renunciando ao cargo. “Como se verá o contrato não foi implementado, em razão de fatos alheios à vontade dos denunciados, visto que a renúncia do vice-prefeito TEMISTOCLES, gerou receio no corpo diretivo da empresa criminosa, que para minorar suas perdas e compensar a não implantação, passou a negociar com a LIFESA, uma das empresas da joint venture criminosa”, diz a denúncia.

O Ministério Público alega que diante resistência de Márcia Lucena de cumprir o suposto acordo com a Cruz Vermelha, Daniel Gomes teria se queixado ao ex-governador Ricardo Coutinho. “

Ciente desta situação narrada por DANIEL na reunião, RICARDO VIEIRA COUTINHO determinou que MÁRCIA LUCENA passasse a adquirir itens de farmácia/medicamentos diretamente do LIFESA – LABORATORIO INDUSTRIAL FARMACÊUTICO DO ESTADO DA PARAÍBA -, com o fito de amenizar o prejuízo e descontentamento de DANIEL GOMES DA SILVA”, diz outro trecho da denúncia.

Um levantamento apresentado à Justiça revela que a prefeitura do Conde adquiriu da Lifesa, entre novembro de 2017 e março de 2018 o montante de R$ 899.757,74. Vale lembrar que, de acordo com investigações do Ministério Público, 49% das ações do Laboratório Farmacêutico do Estado pertencia à TroySP, que teria Daniel Gomes da Silva e Ricardo Coutinho como sócios ocultos.

O Ministério Público pede, na ação, que a Justiça se pronuncie sobre o afastamento da prefeita do cargo, caso aceite a denúncia. Pede ainda a perda do cargo ou função pública dos acusados, incluindo emprego ou mandato eletivo, além da devolução mínima de R$363.952,00, do conserto de um veículo e da aquisição de uma Amarok.

Blog do Suetoni

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Após ter candidatura questionada na Justiça Eleitoral, prefeito desiste da disputa

Atual prefeito de Casserenque, Genival Bento (Dinda) buscava a reeleição nas Eleições 2020, no entanto, após ter sua candidatura questionada pela Justiça Eleitoral, o gestor resolveu renunciar a disputa alegando…

CG: “Um dos maiores desafios dos próximos gestores é impulsionar a geração de emprego e renda” diz Bruno

O candidato à Prefeitura de Campina Grande, Bruno Cunha Lima (PSD), declarou que um dos maiores desafios dos próximos gestores municipais é impulsionar a geração de emprego e renda no…