Sem incluir a PB, PE, PI, SE, Brasil já tem 63 mil inquéritos sem conclusão há mais de 2 anos

Existem hoje no Brasil pelo menos 63.106 inquéritos relativos a homicídios instaurados antes de 31 de dezembro de 2007 ainda sem conclusão. É o que diz um levantamento feito pelo Ministério Público e coordenado pelo CNMP (Conselho Nacional do Ministério Público) que utilizou dados de 20 Estados. A meta da Enasp (Estratégia Nacional de Justiça e Segurança Pública) é concluir esses inquéritos até julho de 2011.

Os números do levantamento são parciais e podem mudar, pois o Ministério Público ainda não concluiu a coleta de informações. Há dificuldades na apuração dos dados, principalmente no interior, por conta da falta de informatização, de acordo com o CNMP.

O levantamento ainda aguarda dados sobre os seguintes Estados: Amapá, Amazonas, Distrito Federal, Paraíba, Pernambuco, Piauí e Sergipe. O resultado definitivo do trabalho deve sair até o final do mês.

Segundo o CNMP, o objetivo do trabalho é mapear os inquéritos anteriores a 31 de dezembro de 2007 e afim de de traçar um diagnóstico nacional sobre a investigação de homicídios, mostrando as dificuldades. Com o levantamento, o órgão pretende ainda ajudar na elaboração de políticas públicas sobre o tema.
"Pretendemos jogar luz sobre as dificuldades enfrentadas na apuração desses crimes e buscar soluções conjuntas e a articulação de esforços entre todos os atores do Sistema de Justiça e Segurança Pública", afirma a conselheira do CNMP Taís Ferraz, coordenadora do Grupo de Persecução Penal da Enasp.

O CNMP destaca ações como a de Rondônia, onde houve um mutirão no início de novembro para a conclusão dos inquéritos. Em Alagoas, os inquéritos antigos estão sendo analisados com o apoio de policiais civis recrutados e designados pelo Ministério da Justiça especialmente para atender à meta da Enasp.
 

 

Folha

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Cientista político paraibano elenca motivos da baixa quantidade de mulheres eleitas na política

As regras da Justiça Eleitoral que buscam resguardar cotas mínimas de candidaturas femininas e de recursos financeiros a elas ainda não são garantia de que mais mulheres serão, efetivamente, eleitas…

Audiência Pública na CMCG propõe medidas para salvaguardar o Patrimônio Histórico de Campina

A Câmara Municipal de Campina Grande realizou, nesta quarta-feira 16/10, Audiência Pública acerca do Patrimônio Histórico de Campina Grande. O autor da propositura foi o vereador Olimpio Oliveira, que debateu…