Ex-deputado federal pela Paraíba, o petebista Philemom Rodrigues não tem mandato, mas não largou o osso na Câmara Federal. A coluna deste domingo (22) do jornalista Cláudio Humberto, que escreve para jornais de todo país, traz a informação de que o parlamentar, acusado de participar do esquema Sanguessuga, foi nomeado para cargo de assessor de relações internacionais no gabinete do presidente da Casa, Michel Temer (PMDB-SP). Philemom recebe quase R$ 8 mil pelo cargo de Natureza Especial, segundo Cláudio Humberto.

VEJA A NOTA

“Sanguessua” ganha boquinha na Câmara

O ex-deputado Philemom Rodrigues, do PTB, acusado de envolvimento no escândalo dos Sanguessugas, conseguiu uma boquinha de R$ 7 mil por mês: foi nomeado para cargo de NE (Natureza Especial) na assessoria de relações internacionais no gabinete do presidente Michel Temer, do PMDB. Ex-deputado por Minas, ele era da bancada da Paraíba quando o estourou o escândalo. Ele sempre negou envolvimento no caso.

PB Agora

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Áudio revela articulação de Bolsonaro para tirar líder do PSL

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) foi gravado nesta quarta-feira à tarde pedindo o apoio de deputados da legenda para destituir o líder do partido na Câmara, Delegado Waldir, que acabou…

Após Dra. Paula, mais um oposicionista deve tirar licença na Assembleia

A bancada de oposição na Assembleia Legislativa da Paraíba deve registrar mais uma alteração, após a o pedido de licença da deputada Dra. Paula (PP). Quem deve afastar-se da Casa…