O presidente Jair Bolsonaro colocou na manhã desta quarta-feira um humorista para responder perguntas de jornalistas e distribuir bananas para os profissionais.

A ação ocorreu na porta do Palácio da Alvorada, onde diariamente Bolsonaro cumprimenta apoiadores e fala com a imprensa, e foi acompanhada pelo presidente, pelo ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, e pelo chefe da Secretaria de Comunicação Social (Secom), Fabio Wajgarten.

O humorista Márvio Lúcio, conhecido como Carioca, desceu do comboio presidencial fantasiado como Bolsonaro. Ele estava no mesmo carro de Wajgarten, que abriu a porta para ele descer. Ramos, a quem a Secom é subordinada, havia descido de outro carro, minutos antes.

Carioca estava com uma caixa cheia de bananas e a ofereceu para os apoiadores e jornalistas, em referência a um gesto que o presidente já fez em duas oportunidades para a imprensa.

Questionado se Bolsonaro havia orientado a oferecer as bananas, o humorista respondeu: “Não vem com esse papo, não. Sou eu aqui (o presidente). Foi ideia minha. Isso aqui se chama humorista.”

Minutos depois, Bolsonaro saiu de outro carro e ficou ao lado de Carioca. Perguntado sobre o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) — que teve alta de apenas 1,1% em 2019, a menor taxa desde o fim da recessão —, o presidente disse para o humorista responder a pergunta:

— PIB? O que é PIB? Pergunta o que é PIB?

Depois disso, a maioria dos jornalistas deixou o local.

Toda a ação foi filmada por um ajudante de ordens da Presidência e transmitida na conta de Bolsonaro no Facebook — foi a primeira vez em duas semanas que ele filmou a saída do Alvorada.

da Agência O Globo

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

“Sabemos que o impacto será violento”, diz presidente da Sinduscon-JP sobre prejuízos devido à pandemia do Covid-19

O novo vírus, que surgiu na China no início deste ano, rapidamente se espalhou pelo mundo inteiro. No Brasil, um empresário de 61 anos vindo da Itália entrou no País…

Análise: pandemia causada pelo coronavirus zera o quadro sucessório para 2020. Aliás, haverá eleição?

O mundo parou precavido e assombrado com a pandemia do Covid-19 (coronavirus). Não foi diferente no cenário político da Paraíba: houve um desaquecimento total das pré-campanhas, até porque os pretensos…