A Paraíba o tempo todo  |

Aval para Lula no palanque de João? Gleisi diz que ainda acredita na Federação com PSB e, em último caso, “aliança”

A presidente nacional do PT, deputada federal Gleisi Hoffmann (PR), expressou otimismo quanto à composição de uma Federação Partidária que envolva o PSB, dado os avanços em estados como Pernambuco, Maranhão e Rio de Janeiro, onde os trabalhadores declararam apoio às candidaturas socialistas. Ela apontou que um aspecto central das federações é a “verticalidade” também nos estados, o que exige negociações intensas.

Contudo, entraves principalmente no Espírito Santo, São Paulo e Rio Grande do Sul exigem “ajustes” nas “danças” que são as negociações, metaforizou a presidente do PT. “Isso só resolve com muito diálogo, com muita dança. Não é na primeira valsa que a gente acerta o passo. Então, tem que dançar a valsa, o xote, todos os ritmos para poder ajustar. Estamos nessa fase”, disse.

“Eu sou muito otimista. Aposto na Federação. Acredito que ela é um instrumento importante para a política brasileira, principalmente para esse campo da centro-esquerda”, prosseguiu.

No pior dos casos, ao menos uma coligação visando a eleição do ex-presidente Lula e acordos pontuais serão viabilizados, garantiu Hoffmann.

“Ainda aposto na Federação com o PSB, mas se não der haverá coligação para eleição de Lula e acordos nos Estados onde isso for possível”, disse. “É óbvio que, se não der, nós não vamos achar que é o fim do mundo. Fizemos já um exercício grande e caminhamos para uma composição, e temos o entendimento entre os dois partidos de caminharmos juntos na eleição nacional. Vamos continuar trabalhando para que a Federação possa ser uma realidade”.

“Vamos continuar fazendo um esforço muito grande para caminharmos unidos e unificados. A união desse campo político é muito importante, tanto para a eleição nacional como para os estados. Também depois, se o Lula ganhar, para ter um núcleo de governabilidade mais fortalecido, que venha para o Congresso Nacional e que esteja nos estados para dar sustentação, ou mesmo na oposição. Precisamos ter um pouco mais de musculatura desse campo na política brasileira”, completou.

 

Da Redação

PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe