Pivô de uma crise no interior do PSB, o deputado federal Manoel Júnior, que acompanha pelo interior do Estado a Caravana da Reconstrução, não foi localizado pela reportagem do PB Agora para dar esclarecimentos a respeito de nota em que o partido condena suas declarações sobre alianças em 2010.

Pela assessoria, Manoel Júnior apenas teria afirmado que Edvaldo Rosas, vice-presidente estadual do PSB e autor da nota, deveria se preocupar apenas “em explicar os desvios que foram alvo de ação na Justiça em sindicato de funcionários da UFPB”.

Segundo a assessoria, Edvaldo Rosas tem um passado que sinaliza muito bem qual o tipo de alianças que ele procura.
 

Ontem, Júnior criticou a tese de aliança de Ricardo com o governador Cássio. Chegou a dizer que quem se junta com corrupto só pode ser considerado como tal. As declarações atingiram de cheio a intenção do partido de aproximação com Cássio. E provocaram reação negativa.


PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

“Apoio do governador não é pré-requisito para nossa candidatura” diz Efraim Filho

Nesta terça-feira (28), o deputado federal Efraim Filho declarou que um possível apoio do governador João Azevêdo não é pré-requisito para a pré-candidatura de Raoni Mendes, anunciada pelo DEM na…

“Não tenho ganância pelo poder” diz secretário de Saúde sobre disputar PMCG

Apesar de ter seu nome cogitado como uma das opções do grupo do governador João Azevêdo, para a disputa pela Prefeitura Municipal de Campina Grande, o secretário de Estado da…