Por pbagora.com.br

Acompanhar, com responsabilidade, os desdobramentos políticos referentes a assuntos que geraram ou possam gerar repercussões positivas ou negativas para os personagens envolvidos é algo que só a experiência e a idade podem oferecer. E aqui lembro o conselho de Nelson Rodrigues aos jovens: “Envelheçam!”

E seguindo as palavras de Rodrigues, hoje observo sua razão que corta a carne como uma navalha afiada. Os arroubos da juventude vêm sendo aplacados aos poucos no meu ser. Por isso aguardei o momento oportuno para oferecer meu ponto de vista relativo ao deputado estadual Raniery Paulino (MDB), que entregou a liderança da bancada de oposição na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) na quinta-feira (23).

Críticas negativas foram postas sobre a sua decisão, por ter sido ele uma das vozes mais coerentes no campo oposicionista ao ex-governador Ricardo Coutinho (PSB). Assertivo, esteve à frente dos grandes embates nas ações administrativas julgadas por ele como incorretas durante a gestão do socialista.

Hoje o parlamentar, que fez uma releitura política do seu papel na Casa de Epitácio Pessoa, migrou para a base de sustentação do governador João Azevêdo (Cidadania), outro político que utiliza muito mais o cérebro e o bom senso, pondo o fígado na geladeira por não ser ele órgão pensante, algo que Ricardo Coutinho nunca tentou, pois sempre governou a Paraíba com mão de ferro, não ouvindo opiniões da oposição e mesmo daqueles que lhe davam sustentação política.

Raniery Paulino, emedebista puro, liderança política inconteste em Guarabira, João Azevêdo, governador que vem administrando o Estado de forma satisfatória, mesmo enfrentando a pandemia do novo coronavírus, selaram uma união histórica.

Faz-se claro que outros agentes políticos de grande envergadura ajudaram a formalizar tal composição, como os senadores José Maranhão (MDB) e Veneziano Vital do Rêgo (PSB). E no meio de toda essa transformação peculiar e salutar, pois vejo que o ser humano tem que evoluir, e essa evolução vem da sua própria consciência na busca de acertar e, assim, não terminar a vida repetindo conceitos e certezas da juventude e da inexperiência; existe outro elemento chave para a decisão do parlamentar. Seu pai, o ex-governador Roberto Paulino (MDB).

Pude eu e minha família conhecê-lo quando residimos em Guarabira. Roberto era prefeito daquele município. Raniery, na época, ainda menino, daí a certeza que infração alguma cometeu o parlamentar, pois a ética e a preocupação com o povo guarabirense sempre foi uma constante dos Paulino.

E seguindo uma lógica óbvia, a junção das duas maiores forças partidárias da Paraíba, de grandes lideranças políticas, trarão para Guarabira grandes benefícios. Talvez uma postulação a prefeito da Rainha do Brejo, seja de Raniery Paulino ou do seu pai, sendo o vice indicado pelo Cidadania, é uma costura partidária democrática e legítima.

No meu entendimento, não há “pecado” algum à mudança. Como já disse antes, o ser humano busca, ao longo da sua vida, o acerto. Ficar parado, baseando-se em ranços pessoais, especialmente na política, torna a sociedade estática, inodora, insípida e incolor. É preciso mudar, caso contrário todos nós ainda estaríamos vivendo em árvores ou em sombrias cavernas.

Por fim, que outras composições políticas, a exemplo de Guarabira, venham a ser consolidadas para o crescimento da Paraíba.

Eliabe Castor
PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Assessor do deputado Cb Gilberto, Cb Rui é preso suspeito de agredir mulher, diz site

Cabo Rui, que atua como assessor do deputado estadual Cabo Gilberto, teria sido preso na madrugada deste sábado (1º), após ser autuado na Lei Maria da Penha. A informação foi…

Análise – Sucessão: os prós e os contras em torno de Edilma, a escolhida pré-candidata pelo critério do cunhadismo

Como se não bastasse as derrotas que o seu grupo político vem acumulando nas últimas eleições, o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PV), achou por bem de apostar no…