O discurso – aparentemente forjado – de que o ex-senador Cássio Cunha Lima não está querendo nada com política, é uma tremenda balela. Ele quer, sim. E como quer!…

Mais que isso: Cássio está à procura de um meio de ressurgir das cinzas; ou, pelo menos, de se recompor da derrota que sofreu no pleito de 2018: em tese, era imbatível para uma das duas vagas disponíveis para o Senado da República, mas, abertas as urnas, Cássio não passou do quarto lugar, perdendo até para Daniela Ribeiro. Esta, ao contrário, não figurava na lista dos analistas e especialistas em política com alguma chance de vitória. E deu no que deu…

Perdido, como assim?!

Somente um desesperado para ressurgir faria o que Cássio fez na cerimônia de inauguração do Conjunto Residencial Aluízio Campos, com a presença do presidente da República, Jair Bolsonaro. Segundo uma fonte relatou à coluna, Cunha Lima chegou ao local, sem ser convidado, alegando que se perdeu pelo meio do caminho e foi bater ali sem saber como…

De repente, chega Cássio Cunha Lima, pelo meio da multidão. Estando em Campina Grande, claro que não faltaria gente para aplaudi-lo. Esperto, assim Cássio roubou a cena, chamando a atenção do presidente Jair Bolsonaro. Este está à procura de gente de prestígio na região Nordeste para, a ele, se juntar num contraponto contras Luis Inácio Lula da Silva. Viu Cássio assediado e o chamou para a mesa-diretora dos trabalhos.

Lascou!

A fonte, residente em Campina Grande e muito atenta aos fatos políticos, relatou à coluna: “Com aquilo, Cássio deixou tudo embaralhado”.
Ainda esta semana, o prefeito da cidade, Romero Rodrigues, afirmou para a imprensa que a candidatura de Cássio à sua sucessão, depende só dele. “Se ele quiser, tem o meu apoio”.
Assim sendo, Romero Rodrigues chutou para escanteio alguns pré-candidatos, dentre os quais uns estimulados por ele próprio, ao deixar bem claro: bem, é o seguinte, primeiro Cássio, se ele não quiser, aí eu chamo vocês…

Já problema

Todo esse mal-estar tem sérios desdobramentos na política de Campina Grande. Pode, inclusive, ter criado uma dificuldade nas relações de Romero com o PP e a família Ribeiro.

Família esta que tem ajudado, e muito, a Romero sair de alguns atoleiros. Romero estava com problemas para por em dia salários atrasados na área de saúde. Entre julho e agosto, o deputado Agnaldo Ribeiro conseguiu a liberação de R$ 40 milhões para a Prefeitura de Campina Grande. O atrasado foi pago e, de lambuja, também foi paga parte do 13º salário. A senadora Daniela Ribeiro também havia conseguido a liberação de mais R$ 10 milhões.

O mal-estar fica maior ainda quando todo mundo, mais a mulher do Seu Raimundo, em Campina Grande, sabem que o filho da senadora Daniela Ribeiro e atual secretário de Ciência e Tecnologia da Prefeitura, Lucas Ribeiro, tem pretensões quando à sucessão de Romero Rodrigues.

Ofuscado

Uma das coisas que mais chamou a atenção, não apenas em Campina Grande, foi a deselegância de Cássio de aparecer, repentinamente, sem ser chamado, numa festa em que os louros e brilhos estavam programados para o seu primo e prefeito Romero Rodrigues.

Romero estava inaugurando a maior obra de sua gestão, um conjunto residencial maior de que muitas cidades da Paraíba. Aquela seria a sua grande festa, comemorar um marco de sua gestão. Ai chega Cássio, esperto que só ele, e… deixa que o resto é comigo…

O presidente Jair Bolsonaro, por sua vez, naturalmente deve ter deixado Campina Grande com a impressão de que Romero não tem liderança nenhuma no seu reduto; que os Ribeiro não são lá essas coisas e, portanto, Cássio Cunha Lima, este sim, é o tchampa de crush.
Será?

O tempo dirá.

 

Wellynton Farias
PB Agora

Total
6
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Aliados para 2020, PTB e Podemos devem disputar internamente filiação de João

Apesar de aliados para o pleito de 2020, PTB e Podemos ainda devem travar uma disputa nos bastidores que é a batalha para convencer o governador João Azevêdo (sem partido)…

Galdino avalia que governo Bolsonaro e fogo amigo são desafios de João Azevêdo

O presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba, deputado Adriano Galdino, fez uma breve análise do primeiro ano de gestão do governador João Azevêdo e destacou os desafios que o chefe…