Por Wellington Farias
 
 

Aquela máxima bastante de que “não se atira pedras em fruta podre” se aplica muito bem em finais de campanha. Sobretudo nos cenários em que os números inerentes à preferência dos eleitores estão sofrendo alterações.

O cenário da disputa pela sucessão do prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo, se encaixa como uma luva na situação. Afora o “pitaco” de que Cícero já tem lugar garantido no segundo turno, ninguém arrisca apostar uma prata sobre quem irá disputar com ele.

Um fato curioso salta aos olhos de todos, mesmo daqueles que não acompanham atentamente os desdobramentos da política: nesta reta final do primeiro turno, o candidato mais atacado pelos que buscam uma sobrevida no segundo turno é o ex-governador Ricardo Coutinho.

Trunfo é pau

Sobretudo a partir desta semana, a saraivada de pau no lombo de Ricardo Coutinho tem sido intensa, impiedosa. Não diretamente dos adversários, mas pela boca e escrita dos aliados destes. Eles ocupam todos os espaços possíveis para detonar o ex-governador.

Convenhamos: nada é à toa, não é mesmo?!

Me engana…

Na tarde desta sexta-feira (6) um desses porta-vozes contra o ex-governador telefonou para o colunista e – como quem não quer, mas querendo – tentou convencê-lo de que Ricardo era uma cobra morta no cenário da disputa; que estava eleitoralmente morto sem a menor chance de figurar numa boa posição.

A pergunta do colunista foi inevitável: e por que será que estão batendo tanto em Ricardo Coutinho, se ele já que ele estaria antecipadamente eliminado?
A resposta do nobre interlocutor: “Nada demais, apenas para massacrá-lo e acabar de enterrá-lo”.

A simples iniciativa do interlocutor, de ligar para convencer de que RC está eleitoralmente morto, por si só reforça a suposição de que algo mantido sob oa bastidores da política indica que o ex-governador está bem posicionado no páreo da disputa.

Afinal, em meio a uma disputa tão acirrada, quem de sã consciência iria perder tempo com quem não tem chance nenhuma, em vez de gastar sua munição com aqueles que lhes ameaçam?

Principalmente neste momento final de disputa não é nem um pouco recomendável se gastar vela com defunto ruim, não é mesmo?..

E Trump, hein?!

Assessores, conselheiros e aliados do residente Jair Bolsonaro se manifestam extremamente preocupados com os desdobramentos que poderá ter, nas eleições presidenciais brasileiras em 2022, uma eventual derrota do presidente Donald Trump.
Muita água ainda vai rolar. Mas desde o início que Biden, adversário de Trump assume a dianteira na marcha das apurações.

Abandono

A propósito da ameaça de derrota, que ronda o presidente dos Estados Unidos, o presidente brasileiro, Jair Bolsonaro já ta começando a dar uma de rato.
Nesta sexta, ele deu declarações dizendo que “Trump não é o homem mais importante do mundo…”

 
 

Por Wellington Farias

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

PT será oposição a Cícero Lucena em João Pessoa, avisa Jackson Macêdo

O Partido dos Trabalhadores na Paraíba será oposição ao governo Cícero Lucena (PP) a partir de 2021. A informação é do presidente da sigla no Estado, Jackson Macêdo. No primeiro…

Partidos do Centrão vão comandar quase metade dos municípios do país

O grupo de partidos que formam o chamado Centrão, base política na Câmara dos Deputados do governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), vai administrar mais de 2,6 mil municípios…