A Paraíba o tempo todo  |

Análise – Dinho e Bruno se cuidem: acordo para Mesa dura igual risco n’água

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

Dezesseis vereadores se reuniram, nesta terça-feira (dia 15), numa doceria de João Pessoa, para decidir por uma imoralidade: definir de uma vez só que serão os presidentes da Câmara Municipal de João Pessoa nos próximos dois biênios.
De antemão, estes vereadores decidiram que vão eleger o vereador Dinho presidente da Câmara, para o primeiro biênio; e, automaticamente para o segundo biênio, o vereador Bruno Farias.

O imoral dessa história não é o compromisso verbalizado ou assinado, mas a eleição, em um único pleito, de duas mesas-diretoras sucessivas, impossibilitando que a sucessão do próximo presidente seja disputada na ocasião adequada, mediante nova votação.

Cuidado, hein!
Tanto Bruno Farias como Dinho precisam ser muitíssimo cautelosos e não apostarem todas as suas fichas na palavra empenhada pelos parceiros de casuísmo. Afinal, não são raros os casos em que acordos desse tipo, selados com muita antecipação, visando à eleição da mesa diretora da Casa de Napoleão Laureano têm a duração e a consistência de um risco n’água.

Por exemplo
O caso mais emblemático de rasteira e traição nas eleições da mesa-diretora da Câmara de João Pessoa aconteceu no final dos anos 80, talvez início dos anos 90, quando o então líder do MDB, Derivaldo Domingos de Mendonça, foi dormir eleito presidente do Poder Legislativo Municipal e acordou derrotadíssimo.

Na sequência aconteceram vários casos, inclusive, com a então vereadora Nadja Palitot, outra vítima desses “acordos” que não se sustentam.

Portanto, é prudente a Bruno e a Dinho não festejar por antecipação as suas eleições de presidente da Câmara Municipal de João Pessoa.

Campina já aprontou…
Segundo noticiou este portal, em Campina Grande o casuísmo também está valendo para a eleição das próximas mesas-diretoras da Câmara Municipal, Casa de Félix Araújo.
Um grupo formado por treze vereadores teria fechado acordo durante almoço, na tarde desta terça-feira (15), em torno do nome do vereador Marinaldo Cardoso, do Republicanos, para comandar a Mesa Diretora da Câmara Municipal de Campina Grande a partir de 2021.

Campina foi mais depressa na rasteira, segundo o noticiário do PBAgora: “A vereadora Eva Gouveia (PSD), campeã de votos nas últimas eleições na disputa pela Câmara Municipal de CG declinou da disputa pela presidência da Casa para aderir ao nome do colega veterano. Com a decisão, Eva comporá a chapa de Marinaldo na qualidade de primeira vice-presidente e dá uma rasteira nas pretensões da vereadora Ivonete Ludgério (PSD) que era a atual presidente da Casa, e postulava um terceiro mandato no comando do parlamento campinense.”

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe