Por pbagora.com.br

Além de bom para João Pessoa, seria este um duelo para ninguém esquecer; uma refrega eleitoral boa de ver: uma final de eleição para prefeito de João Pessoa disputada, palmo a palmo e voto a voto, por Cícero Lucena (PP) e Ricardo Coutinho (PSB).

Um duelo de titãs, possível de acontecer, é bom que se diga.

Seria bom para João Pessoa, porque, qualquer que fosse o resultado deste embate, a Capital da Paraíba escaparia do risco de cair em mãos de inexperientes, de aventureiros, ou de oportunistas. Afinal, o bom senso dita que administrar uma cidade de quase um milhão de habitantes, sobretudo após uma pandemia, não é tarefa para qualquer um, muito menos para amadores.

Uma disputa entre Cícero e Ricardo também daria grandeza à campanha eleitoral.
Ai, sim, a campanha ganharia contornos do que costumamos chamar “briga de cachorro grande”, de gente que entende do assunto, de larga experiência, de cacife para pretender ocupar a mais importante cadeira do município de João Pessoa.
De quebra, uma “briga” de tamanha envergadura ainda arrastaria o pessoense – em massa – para dentro do processo eleitoral; para o centro das discussões e para a cabine de votação, reduzindo o nível presumível de abstenções para o caso de a disputa vir a se manter no nível dos cacarecos que se apresentam. O duelo turbinaria a eleição com a empolgação de quem, de fato, compete decidir os destinos da capital da Paraíba: o eleitorado.

Cobras criadas

Cícero Lucena e Ricardo Coutinho são cobras criadas, tanto na atividade política-eleitoral, como na experiência de administrar João Pessoa e a Paraíba. São testados no azeite e, cada um a seu tempo, bem avaliados em suas respectivas gestões, guardadas as devidas proporções.

Politicamente, o Cícero Lucena de hoje não é mais aquele Cícero a reboque da oligarquia dos Cunha Lima. Cícero passou por um processo extremamente desgastante; nas horas mais difíceis de sua vida foi desprezado pelos seus “fiéis” amigos do tucanato. Exilou-se voluntariamente da vida pública e, agora, voltou por outras vias, livre das amarras inconveniente de antes, e absolvido pela Justiça, depois de condenado por uma campanha midiática devastadora.

Cícero foi prefeito de João Pessoa, governador da Paraíba, senador da República, ministro de Estado etc e tal.

Ricardo Coutinho também foi prefeito de João Pessoa, por duas vezes, promoveu considerável transformação na cidade; foi governador da Paraíba, por dois mandatos e, ao que tudo indicava à época, seria tranquilamente eleito senador da República se tivesse disputado o cargo em 2018. O que não fez, permanecendo no Governo, para viabilizar a eleição do seu escolhido para sucedê-lo, o hoje governador João Azevedo.

Wellington Farias

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Ruy anuncia plano para transformar mercados em polos gastronômicos e turísticos

Determinado a promover a retomada do crescimento econômico de João Pessoa, o pré-candidato a prefeito Ruy Carneiro anunciou neste sábado uma série de ações para reconfigurar os mercados públicos da…

Minimizando ‘pé de guerra’ RC agradece apoio do PT: “Alegria fraternal”

Minimizando e praticamente ignorando o verdadeiro pé de guerra que a intervenção da Executiva Nacional do PT causou dentro da sigla na Paraíba, ao anunciar apoio ao seu nome e…