Por Eliabe Castor

O leitor já sabe. Os candidatos para as eleições de 2020, estando eles disputando cargos eletivos para vereador ou prefeito também já têm ciência do problema. O mesmo vale para os líderes políticos, inclusive o governador do Estado, João Azevêdo (Cidadania).

O show de calúnias, difamações, ou a atual fake news, que nada mais é, em bom português, a chamada notícia falsa, virá com a força máxima para desqualificar opositores dos que buscam o Olimpo no processo eleitoral deste ano.

A título de confirmação, o próprio Azevêdo começou a receber fogo pesado da artilharia inimiga, pois circulou na manhã desta terça-feira (27) que ele estaria sendo alvo da propalada Operação Calvário.

Na verdade tal fato não aconteceu. A própria Polícia Federal buscou, de forma imparcial, desmentir o que é, na verdade, mentira. Perdoe-me a redundância e trocadilho!

Por sinal, o próprio Tribunal Superior Eleitoral (TSE) vem utilizando todos os recursos humanos e tecnológicos para coibir as fake news, algo nocivo à democracia brasileira e, por extensão, a todo povo brasileiro, independente das suas linhas políticas, ideológicas, religiosas e por aí em diante.

Calvário chega aos Cunha Lima

O primo do ex-governador da Paraíba, Cássio Cunha Lima (PSDB), Arthur Cunha Lima, conselheiro do Tribunal de Contas da Paraíba (TCE), é alvo da Operação Calvário. E quanto a isso não há motivos para “fakes”. Todos já sabem aqui e alhures!

Prova maior é que ele estava na lista da Polícia Federal para a chamada busca e apreensão de documentos e outros “apetrechos” na manhã desta terça-feira (27), dentre eles equipamentos de cunho tecnológico, a fim de fazer uma varredura nos dispositivos e documentos na busca de possíveis indícios de ilicitudes.

Suspeito de lavagem de dinheiro em organizações sociais nas áreas de Saúde e Educação na gestão do ex-governador Ricardo Coutinho, seu parentesco com o candidato a prefeito de Campina Grande, o ex-deputado estadual Bruno Cunha Lima, Arthur pode ser uma pedra no sapato do seu parente. E aí é prato cheio para especulações, calúnias e difamações. Para resumir, fake news.

Novo bloqueio de bens de RC pode afundar seu sonho em ser novamente prefeito de JP

Ricardo Coutinho (PSB) novamente está no olho do furacão da Operação Calvário. A poucos dias para o primeiro turno das eleições, que o socialista pleiteia novamente ocupar a vaga para prefeito da Capital, eis que novo revés (que será amplamente explorado por seus adversários), é um forte aviso que já não voam em céu de brigadeiro os apontados pelo “Gólgota”

Nesta terça-feira (27) o Superior Tribunal de Justiça (STJ) bloqueou nada menos que R$ 2,2 milhões do ex-gestor, além de aliados, como o ex-procurador do Estado, Gilberto Carneiro – cujo montante é o mesmo bloqueado por seu ex-chefe. Arthur Cunha Lima também recebeu o mesmo soco no estômago. Já está indisponível da sua conta bancária R$ 2,2 milhões. E eu tentando pagar minha feirinha básica. E você?

Eliabe Castor
PB Agora

Por Eliabe Castor

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

João Henrique e Micheila, continuam internados com covid-19, em JP

O deputado estadual João Henrique e sua filha, Micheila Henrique continuam internados em um hospital particular de João Pessoa acometidos de covid-19. De acordo com informações da assessoria do parlamentar,…

Opinião: Nilvan vai à contramão da Justiça ao garantir início das aulas em janeiro, caso seja eleito

Restaurantes, bares, praias lotadas. Comércio funcionando para recuperar as perdas financeiras decorrentes à primeira onda da Covid-19. Distanciamento social cada vez mais negligenciado. O uso da máscara como acessório básico…