Ouvi entrevistas do governador Ricardo Coutinho (PSB) e de seus auxiliares à exaustão, esta semana, falando sobre a inauguração da segunda etapa das obras do Centro de Convenções de João Pessoa. Ouvi até um radialista ser traído pelo sentimento de ser parte integrante do governo e afirmar: “nós entregamos hoje o Centro de Convenções”…

 

Mas, confesso, não ouvi uma palavra sequer ao afirmar que a obra é uma iniciativa do Governo Federal, paga pelo Governo Federal, executada pelo Governo do Estado – que tem a sua contrapartida, claro. Seria porque, hoje, Ricardo Coutinho é oposição a Dilma na Paraíba, após mais de três anos de boa convivência? Ou seria para tentar mostrar operosidade, trabalho, dinamismo de um governo que muito deve à sociedade?

 

Esta semana, o ex-governador José Maranhão (PMDB) disse que o governo Ricardo Coutinho vive de fazer mídia enganosa. Para ele, o governador se aproveita da verba de publicidade para gastar milhões com propaganda, mostrando uma Paraíba que não existe, de ficção.

 

Segundo Maranhão, “tirando a propaganda enganosa que é feita todos os dias, (o governo Ricardo Coutinho) é um governo fraco, é um governo que não tem um projeto, uma diretriz, que até agora não disse a que veio” e que isto é sentido por todos os paraibanos, em todas as cidades.

 

Ele disse que enquanto o governador se preocupa em fazer política e gastar milhões com propaganda enganosa, a população paraibana pena, com problemas em todas as áreas, com destaque para as áreas de saúde, educação e segurança. Ele destacou que os paraibanos estão perdendo a paciência com a falta de compromisso do governo.

 

Será por isso que Ricardo se mostrou contrário ao remanejamento da verba de mídia para a defensoria pública, ao ponto de ter dito na Rádio Tabajara esta semana que “a verba para publicidade já é tão pequena e eles ainda querem tirar mais”, mesmo tendo sido o governador que mais gastou com propaganda nos últimos anos na Paraíba – os gastos já ultrapassam R$ 60 milhões, ganhado de Maranhão, Roberto Paulino e Cássio?

 

Será que ele quer mais dinheiro para propaganda para tentar criar no imaginário coletivo a ideia de que as ações que existem hoje na Paraíba, por iniciativa do Governo Federal, são iniciativas de seu governo, como a obra do Centro de Convenções, as obras de esgotamento sanitário e saneamento básico (via Funasa), pavimentação de estreadas e construção de adutoras?

 

Aliás, se imaginarmos a Paraíba sem essas ações de responsabilidade do governo da Presidente Dilma, acabou-se o governo Ricardo Coutinho. Não tem mais nada para mostrar…

 

Seria mais interessante o governador começar a trabalhar. Mas acho que ele está mais preocupado, nos últimos dias, em se livrar de ameaças veladas que tem recebido em forma de recados políticos dos próprios aliados. O caso das contas da Casa Civil e da Granja Santana está aí para provar… teve que se render, né, amigo?

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

João Azevêdo diz que movimento de PM’s na PB tem forte conotação política

“Há forte conotação política”. Essa foi a análise do governador da Paraíba, João Azevêdo (Cidadania), a respeito das manifestações realizadas por representantes das polícias Civil e Militar, assim como, do…

Análise: após o Carnaval, a Paraíba será cenário de guerra política

A conclusão é óbvia. Após o período de Carnaval o clima de certa “afabilidade” entre deputados federais, estaduais, prefeitos, vereadores e o próprio governador João Azevêdo (Cidadania) será modificado drasticamente,…