Embora não tão festejado quanto merecia, o maior feito do atual governo se deu exatamente hoje, independentemente de outras ações aparentemente mais relevantes: o governador João Azevedo lançou o edital para concurso público visando o preenchimento de mil vagas para professores da Rede Estadual de Ensino.

Investimento em Educação é tiro certo, retorno garantido. Educação é a base de tudo.  Não há país nenhum desenvolvido sem educação. O grau de desenvolvimento de qualquer País, Estado ou município mede-se exatamente pelo nível de educação do seu povo. Investir em educação também significa poder de competitividade.

O que também chama a atenção no edital lançado hoje é o seu grau de abrangência. As vagas disponíveis vão muito além das disciplinas básicas, como Português, Matemática etc. Setenta e duas destas mil vagas são para professores de Artes. Há quanto tempo na Paraíba não se faz concurso para professor de Artes? Outras seis vagas são para professores de Filosofia, além de mais seis para Sociologia, disciplinas que, diga-se de passagem, estão “caindo de moda” neste momento crucial do Brasil reacionário, em que as matérias que levam o alunado à reflexão e a pensar estão sendo ameaçadas de exclusão dos currículos escolares.

O edital lançado hoje prevê: 72 vagas para Artes; 150 vagas para Biologia; 68 vagas para Educação Física; 6 vagas para Filosofia; 47 vagas para Física; 72 vagas para Geografia; 78 vagas para História; 18 vagas para Língua Espanhola; 61 vagas para Língua Inglesa; 195 vagas para Língua Portuguesa; 199 vagas para Matemática; 28 vagas para Química e 6 vagas para Sociologia.

Artes

No campo das artes, o Governo do Estado está tocando um projeto que vai dar o que falar, além de colocar a Paraíba na vanguarda neste campo, com relação a outros Estados nordestinos: a Escola de Artes que vai funcionar no histórico prédio em que, por décadas, funcionou a antiga Central de Polícia.

Notre Dame

Acerca do incêndio que destruiu Notre Dama, a coluna reproduz a reflexão oportuníssima da lavra da jornalista Ana Trajano, paraibana radicada em Recife, com quem tive o prazer de compartilhar a convivência nas redações da vida: “É no mínimo enigmático o incêndio na Catedral de Notre Dame em plena Semana Santa. Digno de reflexão. A França, há muito, jogou nas chamas da descrença e do esquecimento a fé cristã. Em chamas, Notre Dame chamou a atenção do mundo. E o mundo lembrou que um dia alguém foi coroado de espinhos, e com a mesma coroa que Notre Dame guardava. Não é apenas a catedral, templo sagrado da fé cristã, hoje tão perseguida, tão negada, que precisa ser reconstruída. Na verdade, o que precisa ser reconstruído, erguido, levantado, é o Cristo coroado de espinhos, crucificado e morto para nos salvar de nós mesmos, do nosso desamor, da nossa falta de fé, da angústia de uma existência vazia quando nos imaginamos apenas um saco de ossos guardando uma mente que pensa”.

Sinalizando

O ex-governador Ricardo Coutinho já anda sinalizando que está mesmo disposto a disputar a Prefeitura de João Pessoa em 2020. Nas suas mídias sociais anda postando fotos dos tempos em que foi pré-candidato a prefeito da Capital.

 

Wellington Farias

 


Veja como adquirir a certificação digital para pessoa física sem burocracia

 

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Prefeito interino de Patos revela tentativa de boicote por parte de vereadores

A sintonia que deveria existir entre executivo e legislativo municipal na cidade de Patos continua sendo apenas sonhos. Nesta quarta-feira (18), durante entrevista, o novo prefeito interino da cidade, Ivanes…

PTB ressurge forte em Bayeux para as eleições de 2020

O Partido Trabalhista Brasileiro – PTB segue com estratégia de reestruturação para as eleições municipais de 2020. O presidente estadual Wilson Santiago esteve reunido com o ex-deputado estadual e psicólogo…