A Quarta Câmara Especializada Cível do Tribunal de Justiça da Paraíba rejeitou recurso do Ministério Público Estadual, que pedia a condenação do ex-prefeito de Campina Grande Veneziano Vital do Rêgo por ato de improbidade administrativa. Ele já havia sido absolvido na primeira instância, mas o MP apelou da decisão.

 

Na sentença de primeiro grau foram condenados Ana Thereza Chaves Loureiro, Arlindo Pereira de Almeida, Erton Rodrigo Linhares Coelho e Emanuelle Mabrinni Conrado Prudêncio Linhares Coelho.

 

Na ação, o Ministério Público alega que os acusados incorreram em atos de improbidade administrativa por, supostamente, terem adquiridos vários serviços para a prefeitura com notas fiscais frias, cedidas pela empresa Linhares Prudêncio Mão de Obra Especializada Ltda que teria sido criada para fraudar o Erário, com a conivência de servidores.

 

No caso de Veneziano, a Justiça entendeu não haver provas robustas contra ele. “Como bem salientou o MM. Juiz processante não há nos autos prova hábil a demonstrar a participação direta no conluio dos servidores e particulares para fraudar as licitações. O Órgão Ministerial não conseguiu provar a participação inequívoca e direta nas contratações administrativas sem a realização de licitação, ou mesmo atitude omissiva a incidir quaisquer das penalidades previstas em lei.”, escreveu o relator do processo, desembargador João Alves da Silva. A informação é do Os Guedes

 


Redação

 

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Avante garante legenda a Nadja para disputar prefeitura de Bayeux

Questionada pela imprensa dos motivos que a levaram a deixar o MDB do senador José Maranhão, para ingressar no Avante do deputado estadual, deputado Genival Matias, a advogada Nadja Palitot,…

Tucano quer garantir apoio para disputar PMCG no lugar de Tovar

A base política do prefeito Romero Rodrigues (PSD), deve mesmo marchar dividida na s eleições deste ano e ter mais de uma candidatura. O vereador licenciado e atual presidente da…