Por pbagora.com.br

O deputado federal e relator da reforma Tributária, Aguinaldo Ribeiro (Progressistas) defendeu que as tratativas acerca da referida reforma sejam adiadas diante do momento em que o país e o mundo sofrem com consequências humanitárias e econômicas incalculáveis por conta da pandemia do coronavírus.

De acordo com Aguinaldo, o foco agora é cuidar da vida das pessoas e que apesar de muito importante, a reforma pode esperar um pouco.

“A emergência agora é salvar a vida das pessoas. Conversei com o presidente da comissão mista Roberto Rocha e combinamos de fazer uma nova avaliação na próxima semana. Estamos focados na crise. Não podemos ter outro foco”, ressaltou o parlamentar.

A expectativa de Aguinaldo antes do Brasil sofrer as consequências do coronavírus, era de que a reforma Tributária pudesse ser votada ainda no primeiro semestre. Entretanto, o deputado ressalta que a cronologia da reforma tributária está diretamente ligada à resolução da crise causada pelo covid-19.

Com isso, o parlamentar convocou o Congresso para somar forças com os demais poderes e a sociedade, na tentativa de amenizar os efeitos do avanço do coronavírus.

“A reforma tributária é necessária, mas estamos diante de uma crise que não sabemos a dimensão. É um exercício de futurologia. O Parlamento neste momento tem de estar pronto para aprovar todas as medidas necessárias, seja na economia seja no protocolo sanitário.” destacou.

O deputado paraibano, líder da maioria na Câmara Federal, ainda defende que o governo proponha medidas mais efetivas com relação a preservação de empregos e para os setores mais atingidos economicamente pela crise.

“O governo deve apresentar medidas robustas, de custeio, para enfrentar o tamanho do problema que vamos ter. Essas medidas precisam ter efetividade. É momento de união da nação. Cada um dando a sua resposta. Que o governo federal possa apresentar medidas robustas que cheguem à ponta. O setor de serviços vai ser mais o mais penalizado”, declarou.

Por fim, Aguinaldo ressaltou que o problema do coronavírus é sério e desta forma tem que ser tratado e combatido com a seriedade necessária, tanto por parte do poder público, como da sociedade em geral, desta forma há a expectativa de que o país possa superar mais rapidamente a crise.

“Como disse o ministro Mandetta, não estamos tratando de uma gripezinha. Se fosse isso, era só dar vitamina C. Estamos tratando de epidemia, temos de tratar com a responsabilidade devida. Temos de ter sensibilidade. Estamos trazendo a realidade que o mundo está vivendo. Quem teve mais responsabilidade está se saindo melhor e primeiro da crise” concluiu.

PB Agora

Notícias relacionadas

Levantamento do PB Agora contabiliza 10 nomes cotados para disputar única vaga da Paraíba no Senado em 2022

Um levantamento feito pela reportagem do PB Agora contabilizou ao menos dez nomes cotados para ingressar na disputa pela única vaga da Paraíba no Senado Federal nas eleições de 2022.…