Por pbagora.com.br

Após a detectarão de que cerca de 1,2 mil servidores da prefeitura de Campina Grande (PMCG) receberam indevidamente o auxilio emergencial se tornaram alvo de sindicância por parte do poder público municipal. O objetivo do procedimento é identificar se houve, ou não, algum tipo de falha no sistema (banco de dados) do programa ou má-fé por parte dos beneficiários – que por terem vínculos com o poder público não deveriam ter recebido os valores.

O procedimento foi instaurado atendendo uma recomendação do Ministério Público Federal (MPF). Os pagamentos indevidos, feitos aos servidores, foram descobertos após o cruzamento de dados feitos pela Controladoria Geral da União (CGU).

No total, quase 3 mil servidores públicos em Campina Grande receberam indevidamente o auxílio do Governo Federal, conforme a CGU. Muitos deles, porém, são lotados em órgãos estaduais, autarquias municipais e na Câmara de Vereadores do município e ficaram de fora da sindicância. Eles deverão ser notificados em outros procedimentos, instaurados pelos órgãos aos quais estão vinculados.

A lista dos servidores que receberam indevidamente o auxílio e os respectivos valores estão disponíveis no Semanário Oficial do município.

Confira aqui a lista completa dos servidores.

Redação

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Ex-marido de mulher encontrada morta em Santa Rita já havia sido assassinado

O marido da mulher que foi encontrada morta na manhã desta segunda-feira (28), no município de Santa Rita, já havia sido assassinado, de acordo com informações da polícia. Ainda segundo…

Polícia detém mais de 120 suspeitos durante as ações do fim de semana

A Polícia Militar prendeu e apreendeu 127 suspeitos, nesse fim de semana, nas ações e operação realizadas em várias cidades paraibanas. O balanço, que foi divulgado pela Coordenadoria de Estatística…