A Paraíba o tempo todo  |

Saiba como lidar com o conflito entre irmãos e o que fazer para melhorar o relacionamento entre eles

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

Eles brincam e brigam o dia inteiro. A relação entre irmãos, por vezes, é cercada de conflitos e lidar com eles é um desafio para muitos pais. Neste domingo (5), data em que se celebra o Dia do Irmão, o psicólogo da MedPrev do Sistema Hapvida em João Pessoa, Andersson Felipe, traz sugestões de como melhorar o relacionamento entre eles.

“Os pais, geralmente, acreditam que é apenas uma fase e que passará em breve. Contudo, se não vivenciada de forma em que haja diálogo, orientação e mudança, não deixará de existir. Só aumentará”, alerta.

Para ele, o ideal é que os conflitos sejam monitorados e que a rivalidade entre os irmãos, não tome proporções alarmantes. “Agir no ato, sempre, para que entendam o significado da reconciliação e boa convivência é fundamental”, avalia.

Andersson Felipe aproveita para fazer um alerta sobre como não proceder na hora de intervir em um desentendimento entre irmãos. “Não fazer comparações entre os filhos; não haver distinção da educação entre os pequenos; buscar ouvir as partes, de cada um, para uma melhor conciliação e entendimento é o caminho a seguir”, sugere.

Melhorando o relacionamento – O psicólogo do Sistema Hapvida explica que uma das medidas mais adequadas para melhorar o relacionamento entre irmãos, fazendo com que os desentendimentos e brigas diminuam, é dialogando. “Buscar, em comum acordo, estabelecer regras e diretrizes de forma igualitária para que entendam que os dois precisam entender o todo, por partes, no contexto dos conflitos existenciais”, orienta.

Para além de um relacionamento sadio, o especialista lembra que a troca de experiência e a interação entre irmãos são de extrema importância, para auxiliar no desenvolvimento. “Uma família que nela exista laços afetivos de forma salutar e assim uma relação satisfatória, favorece em boas condições de relacionamento e, consequentemente, um desenvolvimento fortalecido e coerente com as fases – infância, adolescência e fase adulta”, pondera.

Por fim, Andersson ressalta que os pais precisam entender que, para uma relação dar certo entre os filhos, é necessário uma atenção, uma relação entre todos, desde a união dos pais – que são exemplo – ao que se vivencia entre os irmãos na rotina diária, de tal modo, que isso prevaleça para o bem estar no âmbito familiar.

“Lembrar que a base da família se deve constituir de uma boa formação, desde mostrar bons modos, assim como externar, no dia a dia, demonstrações de afeto, amor e carinho. Afinal, bons exemplos, reforçam bons conselhos”, finaliza o psicólogo.

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe