Cláudio Roberto Borges, 39 anos, conhecido como Claudinho, foi preso por volta das 16h, no Centro de Itambé, em Pernambuco.

Ele é acusado de ser mais um envolvido no homicídio que vitimou o advogado e presidente do PT de Pernambuco, Manoel Bezerra de Mattos Neto.

“Claudinho é funcionário público do município de Pedras de Fogo, na Paraíba, e irmão de José Nilson Borges, que também foi preso por nossa equipe”, afirmou Walter Brandão, que comandou a prisão e foi designado em caráter especial pelo secretário da Segurança, Eitel Santiago, para apurar o crime.

Segundo a autoridade, Cláudio foi preso por força de mandado de prisão preventiva, expedido pela comarca da cidade de Caaporã. “O entendimento é o de que ele seja um dos mandantes do homicídio. Além disso, há evidências de que Claudinho seria o verdadeiro dono da arma utilizada no crime e não o seu irmão, José Nilson Borges”, explicou o delegado.

Já acerca da motivação para o crime, Brandão afirmou que “tudo indica que tenha sido vingança, já que Manoel Mattos depôs em desfavor de Cláudio na CPI do Extermínio, assim como aconteceu com o cabo da Polícia Militar Flávio Inácio Pereira, que também está envolvido no crime e foi preso ainda em janeiro”, disse o delegado.

“Por conta das declarações de Mattos, Cláudio Roberto cumpriu um ano de prisão pelo crime de homicídio. Ele ainda responde processo por porte ilegal de arma”, acrescentou Brandão.

Versões – Em depoimento à polícia, Cláudio Roberto acusou José da Silva Martins, 37 anos, conhecido por Zé Parafina, e cabo Flávio pela execução de Manoel Mattos.

Já Parafina, atribui a execução a Claudinho e Flávio. “José da Silva confessa que esteve com a arma, mas afirma que no dia do crime ela estava em poder de Cláudio. Já José Nilson diz que a arma estava com Parafina e Flávio”, detalhou Walter Brandão, afirmando que apesar das diferentes versões, os depoimentos confirmam cada vez mais o envolvimento de todos no assassinato. Todos os quatro presos acusados de envolvimento no crime serão apresentados à imprensa na manhã da próxima segunda-feira (16), na sede da Secretaria da Segurança e da Defesa Social, no bairro de Mangabeira, Capital.

 

 

Assessoria

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Polícia desarticula laboratório e ponto de venda de drogas em JP

A noite dessa segunda-feira (21) terminou com mais uma apreensão de drogas e um laboratório para refino de entorpecentes desarticulado pela Polícia Militar. Desta vez, os dois pontos utilizados pelo…

Organizadores de festa em JP com suposta exploração sexual são identificados

Três pessoas foram identificadas ontem (21) como responsáveis pela festa que foi cancelada pela Vara da Infância e da Juventude por suspeita de exploração sexual de adolescentes no bairro do…