Por pbagora.com.br

A prefeitura do município de Conde, no Litoral Sul da Paraíba, voltou a estampar as páginas policiais nesta quarta-feira (03), após a juíza Lessandra Nara Torres Silva, determinar a execução de um busca e apreensão contra a gestão municipal, que tem a socialista Márcia Lucena (PSB) como prefeita da cidade.

A ordem foi expedida a pedido do Ministério Público, através da Promotoria da Comarca de Conde, cuja execução ficou a cargo da Polícia Civil

O mandado de busca e apreensão está sendo cumprido após a denúncia do vereador Malba de Jacumã que flagrou caixas de medicamentos com data de validade vencida no depósito da Prefeitura de Conde.

O vereador gravou vídeo com caixas de azitromicina com data de validade vencida, medicamento receitado por médicos para tratamento da covid-19, doença decorrente do novo coronavírus.

O vereador foi à Delegacia de Polícia Civil, foi também à Polícia Federal, e afirmou que vai pedir ao Ministério Público que faça uma investigação para apurar os valores gastos, bem como a quantidade de medicamentos com data de validade vencida.

CONFIRA O DOCUMENTO

EM TEMPO

Na noite desta quarta-feira (03) a prefeitura de Conde emitiu nota sobre o caso e tratou a denúncia apenas como tentativa de criação de fato político em tono de procedimentos habituais da administração.

NOTA PÚBLICA

A fim de prestar informações para toda a sociedade em decorrência do fato ocorrido nesta quarta-feira, dia 03 de junho de 2020, a Prefeitura de Conde, por meio da Secretaria de Saúde Informa:

Que os medicamentos contidos na Farmácia têm seus quantitativos e validades controladas de forma planejada.

Infelizmente a saúde possui eventualidades no aparecimento de doenças e agravos, que criam desafios no planejamento e dispensação dessa medicação. Isso quer dizer que nem sempre sabemos quando exatamente vamos ter que usar a medicação, pois sempre é necessária a avaliação médica para cada caso.

Estamos em plena pandemia da Covid-19 e ela demonstra exatamente isso. Nesse sentido, quando não é possível fazer uso da medicação dentro do prazo de sua validade, a Farmácia Central recolhe os medicamentos e os separa para descarte, que é feito semanalmente com empresa contratada especialmente para esta finalidade: coletar resíduos sólidos em saúde e incinerá-los posteriormente. Isso quer dizer também, que a Prefeitura não pode descartar medicamentos em lixo comum.

As medicações fora do prazo de validade estavam separadas num espaço dentro da Farmácia para que fosse feito todo o processo de recolhimento e descarte. Em nenhum momento, tais medicamentos foram distribuídos a usuários do sistema de saúde do município. Temos medicamentos em estoque e dentro da validade, que são entregues à população, mediante o receituário médico.

Mais uma vez reforça-se que a época em que vivemos, de enfrentamento à Covid-19, exige de toda a sociedade ações focadas em salvar vidas. Lamentamos que isso esteja acontecendo em Conde, onde situações corriqueiras do âmbito administrativo estão sendo transformadas em fatos políticos, com a finalidade de adiantar o embate eleitoral.

Continuamos firmes na luta e na responsabilidade de cuidar da saúde do nosso povo.

 

Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Notícias relacionadas

Polícia apreende drogas escondidas no telhado de casa, em JP

Equipes do Batalhão Especializado em Policiamento com Motocicletas (BEPMotos) apreenderam 700 gramas de maconha, 150 pedras de crack, 90 comprimidos de artane e uma balança de precisão, na noite dessa…

Polícia prende jovem por porte ilegal de arma no bairro de Mandacaru

Na continuidade das operações no bairro de Mandacaru, na zona norte de João Pessoa, a Polícia Militar prendeu em flagrante um jovem de 19 anos com uma arma, na madrugada…