O delegado Hugo Helder, que está a frente do inquérito que investiga morte em pizzaria de João Pessoa, descartou a possibilidade de legítima defesa por parte do soldado da Polícia Militar suspeito de ser o autor dos diparos que matou um jovem e deixou outro ferido. 

Leia também:
VÍDEO: dois homens são baleados por engano em frente a pizzaria em JP
Caso da pizzaria: soldado se apresenta e dá versão sobre morte
Família de sobrevivente de ataque em pizzaria apela por doação de sangue

De acordo com o delagado, ao pensar que um crime estaria em andamento o policial agiu na tenativa de repelir uma agressão, logo, a hipótese de legítima defesa cai por terra. Para Hugo Helder, não se faz necessário pedir a prisão do soldado porque a maioria das testemunhas já foi ouvida e as provas foram coletadas.

Informações do comandante do Batalhão de Choque da Polícia Militar, onde o soldado Fernando Vieira está lotado, capitão Guilherme Herculano, explicou que um procedimento administrativo foi aberto pela corregedoria da corporação.

 

PB Agora

 

 


Garanta um desconto especial na sua certificação digital no Juristas Certificados Digitais

 

Deixe seu Comentário