Por pbagora.com.br

PERIGO: número de roubos de armas quase dobra na PB e ação criminosa preocupa sindicato dos vigilantes 

 

Os números são preocupantes. Mais de oitenta armas de vigilantes foram tomadas em assaltos somente este ano na Paraíba. Os dados fornecidos pelo Sindicato dos Vigilantes superam em dobro, a quantidade levada pelos bandidos em 2012.
De acordo com o Sindicato, o modelo mais levado pelos bandidos, é o revolver calibre 38, geralmente utilizados em assaltos. A polícia acredita que o aumento do número de roubo de armas tem relação direta com o crescimento da onda de assaltos no Estado, principalmente em agências bancárias e estabelecimentos comerciais.

Os relatos de ações desse tipo, se multiplicam na Paraíba. Na última segunda-feira (09), os vigilantes de uma agência bancária localizada no bairro de Manaíra, em João Pessoa, ficaram desarmados. A agência foi invadida por cinco homens armados. Munidos de revólveres e pistolas, os bandidos renderam os vigilantes da agência e assaltaram o estabelecimento.

Segundo o Centro Integrado de Operações Policiais (Ciop), os cinco homens chegaram à agência, todos armados, mas apenas dois deles entraram no local. Após passar pela porta giratória, eles renderam os vigilantes, tomaram seus coletes à prova de bala, as armas e anunciaram o assalto. Além de levar dinheiro do banco, os bandidos também levaram celulares de alguns clientes que aguardavam atendimento.

Depois de pegar o dinheiro, os assaltantes fugiram em um veículo em direção ao município de Santa Rita. A polícia fez perseguição mas ninguém foi preso.
Na semana passada foi a vez de uma agência bancária ser assaltada no bairro de Intermares, em Cabedelo com as mesmas características. Desta vez o assalto foi praticado por quatro homens fortemente armados que chegaram ao local e anunciaram o assalto. Além do dinheiro da agência, eles também levaram duas armas dos vigilantes. Depois do crime, eles fugiram em um carro em direção ao bairro do Bessa, em João Pessoa. A polícia cercou a área e fez barreiras em lugares estratégicos para tentar prender os bandidos mas não obteve êxito.

O caso mais grave envolvendo roubo de armas, aconteceu em Campina Grande no dia 30 de agosto. Um vigilante de 53 anos foi morto a tiros durante um assalto. O bandido roubou apenas a arma do vigilante e o matou de forma covarde. O assassino rendeu o vigia e pegou sua arma, depois atirou na cabeça da vítima, que morreu no local. Os suspeitos fugiram em uma moto Honda Bros de cor vermelha.

A polícia está investigando o caso, e promete prender os bandidos nos próximos dias. O delego Danilo Orengo, informou que as investigações do homicídio do vigilantes apontam para o crime de latrocínio, quando há roubo seguido de morte, e está prestes de prender os criminosos.

Revoltado com a onda de assaltos, o Sindicato dos Vigilantes de Campina Grande (Sindvigilantes) realizou um protesto durante o desfile cívico do 7 de setembro. Manifestantes levaram à Praça da Bandeira faixas pedindo ações de segurança pública para conter a violência na cidade. De acordo com o presidente do sindicato, Edmir Bernardo, além de protestarem pela insegurança no exercício de suas funções, a categoria também reclama da falta de segurança em Campina Grande. Segundo ele, mais de 40 armas já foram roubadas de vigilantes somente este ano na cidade. As demais foram tomadas em João Pessoa e demais cidades do Estado.

Mas os roubos de armas não se resumem apenas a Campina Grande e João Pessoa. Recentemente, três homens roubaram as armas do Fórum da cidade de Ingá, no Agreste do Estado e levaram as armas que estavam em condições de uso. Eles invadiram o local e renderam o vigilante e praticaram o roubo.
Em abril os bandidos arrombaram a agência do Bradesco, na cidade de Bayeux, região metrpolitana de João Pessoa e também roubaram dinheiro e as armas dos vigilantes.

Em junho três bandidos roubaram 19 revólveres calibre 38 da empresa de segurança Elfort de Campina Grande. O roubo aconteceu quando funcionários levaram as armas para a Casa do Estudante no bairro Prata. Segundo a polícia, os bandidos estavam em motos e renderam os funcionários, que estavam em um carro. Eles obrigaram o motorista a continuar dirigindo até o bairro Pedregal. Chegando lá, o trio liberou o condutor, com o veículo, e fugiu com os revólveres e também com 100 munições.

O clima de insegurança também tomou conta dos prédios públicos de João Pessoa e após assassinato de servidor público na Secretaria de Saúde do Estado um bandido resolveu ‘atacar’ e assaltou um vigilante do Detran, em Mangabeira. Outras ações semelhantes aconteceram no interior da Paraíba, principalmente, tendo com o alvo agências bancárias.

O Sindicato dos Bancários da Paraíba divulgou uma nota lamentando a quantidade de assaltos a bancos registrados este ano no Estado. As estatísticas do medo preocupam a categoria, que se sente insegura. Já são contabilizados 101 assaltos a instituições financeiras ocorridos este ano na Paraíba.

Severino Lopes

PBAgora

Notícias relacionadas

PRF prende homem com pistola e munição no sertão paraibano

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) na Paraíba prendeu, na manhã do último sábado (17), um homem com uma pistola e sete munições. A ação ocorreu no sertão paraibano quando os…

Polícia apreende arma que seria de grupo criminoso, na Capital

A Polícia Militar apreendeu um revólver que seria de um grupo criminoso ligado ao tráfico de drogas, com atuação na comunidade Maria de Nazaré, localizada no bairro Funcionários III, em…