A Paraíba o tempo todo  |

Pandemia também afeta ações de bandidos na PB e PM adota novas táticas para repelir ações

Comandante-geral da PMPB comenta quais crimes aumentaram e diminuíram em virtude da pandemia na PB e quais táticas estão sendo aplicadas

Recentemente eleito para presidir o Conselho Nacional de Comandantes-Gerais das Polícias e Corpos de Bombeiros Militares (CNCG) do Brasil, o comandante-geral da Polícia Militar da Paraíba, coronel Euller Chaves, fez uma breve avaliação sobre os crimes que mais tiveram quedas e aumentos durante essa fase de pandemia que a população paraibana está convivendo devido ao novo coronavírus.

“Esse ano, com o advento da pandemia causada pelo coronavírus, tivemos um crescimento dos crimes Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI), mas nos Crimes Violentos Patrimoniais (CVP), verificamos uma baixa em torno de 20%. Naturalmente, todos os estados nesse período de pandemia estão vivenciando crimes diferenciados em ambientes privados, a exemplo do feminicídio, que nem mesmo as ações preventivas da polícia é capaz de evitar. Isso nos provoca a necessidade de melhorarmos permanentemente. E mesmo com uma leve alta da criminalidade nesta pandemia, a Paraíba continua com a terceira menor taxa do Nordeste, e João Pessoa como a Capital menos violenta do Norte e Nordeste, com cerca de 23 homicídios por cada 100 mil habitantes. Os números mostram que em nosso Estado há um trabalho contínuo e eficaz em parceria com todas as forças policiais da Segurança Pública, com os policiais agindo com EPIS. É claro que tivemos algumas perdas, mas continuamos nos protegendo e trabalhando”, comentou Euller.

O coronel, destacou ainda a necessidade de ampliar a integração da Segurança Pública na Paraíba. “A participação da PM e do Corpo de Bombeiros dentro desse contexto tem sido importante. Parcerias com Polícia Científica, Polícia Civil, Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal, coordenados pela Secretaria de Segurança Pública e com o apoio do governador João Azevêdo, nos proporcionaram bons resultados. Em oito anos consecutivos, temos uma redução nos CVLI e uma redução de três anos consecutivos nos CVP”, disse.

 

Redação

 

PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      2
      Compartilhe