Por pbagora.com.br

A cassação do ex-governador Cássio Cunha Lima (PSDB) e a posse de José Maranhão (PMDB) como governador do Estado mexeu com o quadro político do Estado. A nova conjuntura sinaliza para a perspectivas de várias candidaturas ao governo do Estado, onde o novo governador sai fortalecido para disputar a reeleição. Figuram ainda como prováveis candidatos o próprio Cássio Cunha Lima (PSDB), caso encontre brecha jurídica; os senadores Efraim Morais (DEM) e Cícero Lucena (PSDB), pela oposição; o prefeito da Capital, Ricardo Coutinho (PSB); e o prefeito de Campina Grande, Veneziano Vital (PMDB).

Publicamente, tanto o governador José Maranhão como o prefeito Ricardo Coutinho evitam falar em 2010, diferentemente de Efraim e Cícero, que já se colocam como pré-candidatos. Enquanto Cícero colocou o seu nome à disposição do partido para possíveis avaliações, Efraim já iniciou uma verdadeira cruzada pelo interior do Estado numa pré-campanha. Já o ex-governador Cássio Cunha Lima, conforme matéria publicada na edição de O NORTE no último domingo, admite a possibilidade de disputar a sucessão estadual.

Para o cientista político Lúcio Flávio Vasconcelos, a mudança do comando do Estado sinaliza para a construção de três candidaturas fortes para o governo do Estado em 2010.

Segundo ele, o principal beneficiado no novo contexto político foi o senador José Maranhão que, agora no Poder, se credencia ainda mais como candidato pelo fato de ser bastante conhecido no Estado e por reunir condições de agrupar o apoio dos partidos da base do presidente Lula. “O Poder exerce um poder gravitacional entre os partidos, por outro lado, Maranhão terá pouco mais de um ano para apresentar à população uma prática diferente do governo Cássio Cunha Lima”, alerta.

Na avaliação de Lúcio Flávio, José Maranhão terá que avançar no que diz respeito a atração de projetos estruturantes para o Estado e melhorar as áreas da saúde, educação e segurança, áreas que o próprio Maranhão, ao assumir o governo na semana passada, apontou entre as suas prioridades.

Maranhão e Ricardo enfrentarão desafios
O cientista político ressaltou que o PT será importante para o PMDB no sentido de facilitar a liberação de verbas federais e o PMDB é importante para o presidente Lula que precisa consolidar a candidatura à presidência da ministra Dilma Roussef. "A consolidação da candidatura do PMDB no Estado depende indubitavelmente do desempenho do governo José Maranhão III e para isso precisa cumprir as promessas e concluir as obras abandonadas deixadas pelos últimos governos", avaliou o cientista político.

Lúcio Flávio afirmou que o lançamento de uma candidatura a governador do PSDB e do DEM, capitaneada pelo ex-governador Cássio Cunha Lima, é uma questão de sobrevivência política do grupo que perdeu o governo do Estado, e espaço nas grandes prefeituras, mas tentará manter o equilíbrio político nos pequenos municípios do interior. Ele citou que o grupo ainda está indeciso sobre quem serão os candidatos majoritários, já que tanto os senadores Cícero Lucena quanto Efraim Morais aspiram a candidatura ao governo e ainda não há uma definição sobre a participação de Cássio, seja disputando o governo ou uma vaga no Senado Federal, nas próximas eleições.

Para o cientista político, o prefeito Ricardo Coutinho (PSB) surge como um terceiro nome com aval de setores do PT, de outros partidos aliados e com respaldo popular diante do exemplo administrativo do governo municipal na Capital paraibana. "Ricardo tenta construir uma terceira via no Estado partindo da Capital para o interior, a partir de cidades importantes como Cajazeiras, Cabaceiras, Taperoá e Mamanguape. É a primeira liderança política do Estado que se projeta de João Pessoa para o interior. Geralmente o caminho é inverso", ressaltou.

Na avaliação de Lúcio Flávio, Ricardo Coutinho tem como desafio manter a base de apoio que tem na administração municipal, formada pelo PTB, PP e partidos de esquerda como o PC do B e o PT, este último apesar de ser governo, com o vice-governador Luciano Cartaxo, conta com uma tendência majoritária simpática ao nome do prefeito Ricardo Coutinho para comandar os destinos no Estado a partir de 2011. Segundo Lúcio Flávio, o vice-go-vernador Luciano Cartaxo precisa se fortalecer dentro do PT para que não haja o distanciamento do governo de José Maranhão.

SAIBA MAIS
Reeleição – Sobre o instituto da reeleição, Lúcio Flávio avaliou que beneficia quem está no Poder e neste ponto José Maranhão leva vantagem, já que para disputar o governo do Estado Ricardo Coutinho terá que se licenciar do cargo de prefeito no dia 30 de março do próximo ano e o atual governador não precisa se licenciar para disputar as eleições.

O Norte

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Homem tenta salvar galinha de telhado e sofre acidente, no bairro do Rangel

Um homem de 54 anos ficou ferido, na manhã de hoje (18), após cair do telhado de casa ao tentar retirar uma galinha do local. O caso aconteceu na avenida…

Mulher reage a assalto e entra em luta corporal contra assaltante na PB

Uma mulher reagiu a uma tentativa de assalto e entrou em luta corporal contra um assaltante, nesta quinta-feira (17), no bairro de Intermares, em Cabedelo, na Grande João Pessoa. durante…