Por pbagora.com.br

Será retomada hoje (06) às 09h, a audiência de conciliação entre as forças policiais e o Governo do Estado. A categoria pede aumento salarial e já realizou paralisações durante o período de pré-Carnaval e Carnaval, até que fossem realizadas as primeiras negociações.

O secretário de Segurança da Paraíba, Jean Nunes, informou que o Governo ofereceu a incorporação de 30% da bolsa desempenho em 36 parcelas e mais 5% para julho deste ano. Os profissionais da Segurança Pública ficaram de avaliar a proposta.

A audiência de conciliação é mediada pelo Tribunal de Justiça da Paraíba, por meio do Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos (Nupemec), com os representantes do Governo do Estado e das entidades das Polícias Militar, Civil e Bombeiros. O encontro será realizado na sala de Reuniões da Presidência do TJPB. Esta é a segunda rodada de negociação. A primeira foi realizada no dia 28 de fevereiro.

Os trabalhos serão conduzidos pelo desembargador Leandro dos Santos, diretor-geral do Nupemec e relator da Ação Declaratória de Ilegalidade de Greve, ajuizada pelo Estado da Paraíba contra o Fórum das Entidades das Polícias Civil, Militar e Bombeiros. O magistrado acredita na pacificação entre as partes. “Vamos, agora, examinar as propostas finais, fazer uma avaliação dos pontos que há concordância e dos que ainda há discordância para tentar o bom senso e a razoabilidade”, afirmou ele.

Além dos representantes do Governo do Estado, deverão participar da audiência os diretores adjuntos do Nupemec, juízes Antônio Carneiro, Bruno Azevedo e Fábio Leandro, e os representantes do Sindicato dos Servidores da Polícia Civil do Estado da Paraíba (SINDSPOL), Associação dos Papiloscopistas Policiais Civis do Estado da Paraíba (ASPPEPP), Associação dos Técnicos em Perícia e Necrotomistas da Polícia Civil Da Paraíba (Atenepol-Pb), Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar Da Paraíba (ASBMPM), Clube dos Oficiais da Polícia Militar, Sindicato dos Peritos Oficiais do Estado da Paraíba (Sindperitos-Pb), Associação dos Servidores da Polícia Científica do Estado da Paraíba (ASPOCED), Associação dos Oficiais da Polícia e Bombeiro Militar do Estado da Paraiba (ASSOF/PB), Associação de defesa das Prerrogativas dos delegados de Polícia da Paraíba (ADEPDEL) e Associação dos Subtenentes e Sargentos da Polícia Militar da Paraíba (ASSPOM).

Nos autos da Ação Declaratória de Ilegalidade de Greve, o Estado alegou a existência de um movimento paredista, deflagrado pelo Fórum das Entidades das Polícias Civil, Militar e Corpo de Bombeiros. No dia 19, o desembargador Leandro dos Santos deferiu medida liminar para declarar ilegal qualquer movimento de caráter paredista que envolva as forças policiais, sejam paralisações ou deflagrações de greve.

 

Redação

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Adolescente é morto com tiros na cabeça e na virilha em João Pessoa

Um adolescente foi assassinado na noite de ontem (25), na comunidade Tito Silva, no bairro de Miramar, em João Pessoa. Geovar Gerônio Silva, 26 anos, foi baleado seis vezes, no…

PB vai acionar Interpol na busca de fugitivo da ‘Barbárie de Queimadas’

A Secretaria de Estado da Segurança e Defesa Social da Paraíba vai acionar a Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Polícias de outros estados do país, além de órgãos de sistema…