O ex-sargento da Polícia Militar da Paraíba, Gilmar Rodrigues de Melo, foi condenado a 16 anos de prisão por homicídio qualificado, conforme sentença proferida no final da noite desta quarta-feira (4) pelo juiz do 1º Tribunal do Júri da Capital, Marcos William. O ex-sargento foi considerado co-autor do assassinato do comerciante e ex-superintendente da Emlur, comerciante e ex-superintendente da Emlur, Francisco Robson Lopes Ferreira, morto a tiros no dia 30 de março de 2007.


O juiz acatou as acusações da promotoria considerando que o ex-sargento cometeu homicídio qualificado por motivo torpe, dificultando inclusive a defesa da vítima, ao dar toda assistência para que Francisco Chagas, o Cariri, desse seis tiros em Robson, dentro do seu próprio estabelecimento comercial, na Avenida Ruy Carneiro.


“Ele coordenou tudo, deu cobertura e ainda a arma para que o crime fosse cometido”, disse o promotor José Guilherme Lemos, que atuou no caso. O ex-sargento, que estava cumprindo prisão provisória no 5º Batalhão da PM, no Valentina Figueiredo, recorreu da sentença na própria audiência, mas teve o pedido de aguardar em liberdade negado. Ele deve ser transferido para presídio na Capital.


De acordo com o representante do Ministério Público, a morte do comerciante foi arquitetada inicialmente pela ex-sogra de Robson Ferreira, Florinda Moita. “Ela contratou Naldinho (Arionaldo Vital da Silva) para matar Robson. Naldinho contratou Gilmar, que ofereceu a arma para Cariri (Francisco das Chagas), e este, com Mago Sombra (Gilvan da Silva Gomes) e Zéu (José da Silva Oliveira) executaram o comerciante”, declarou o promotor.

 

Na avaliação do promotor, a sentença foi coerente com o julgamento dos outros quatro envolvidos – Naldinho, Cariri, Zéu e Mago Sombra -, que foram condenados e estão cumprindo pena.

 

José Guilherme acredita que no mês de março deva acontecer a audiência com as testemunhas indicadas pela defesa de Florinda Moita e pelo Ministério Público. A acusada de ser a mandante do crime é a única que falta ser julgada. Ela está foragida e tem contra si um mandado de prisão preventiva decretado pela Justiça paraibana, por conta do assassinato do ex-genro.


PB Agora

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Suspeito de assassinar radialista em Campina tem registro do Creci cassado

Mais um fato sobre o assassinato do radialista Joacir Oliveira Filho, que tem como suspeito o corretor de imóveis Roberto Vicente Correia do Monte, ocorreu é que Roberto teve seu…

Esposa esfaqueia marido após discussão, em Mamanguape

Após chegar em casa bêbado um homem terminou sendo esfaqueado pela esposa na noite de ontem (22), na cidade de Mamanguape. Segundo informações iniciais da polícia, a vítima teria sido…