Uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi feita de refém e agredida pouco antes das 5h da manhã desta quinta-feira (27), na cidade de Campina Grande. De acordo com a polícia, os profissionais tinham deixado um paciente em um hospital e, no retorno, foram interceptados por um suspeito que pediu a parada do veículo. A abordagem aconteceu entre as ruas Campos Sales e Fernando Vieira Borges.

Segundo relatos das vítimas, o suspeito acenou pedindo parada da ambulância e, como não conseguiu que o veículo parasse, se jogou na frente do carro. Ele rendeu a enfermeira e a golpeou na cabeça, pedindo para que o motorista seguisse ao encontro de mais quatro outros suspeito que os esperavam próximo a uma igreja no bairro do Monte Castelo.

Os outros suspeitos entraram no veículo e agrediram os profissionais pedindo celulares, joias e até os materiais de trabalho da equipe. Eles expulsaram a enfermeira e motorista da ambulância a chutes e "coronhadas" e os ameaçaram de morte.

Após recolherem o que conseguiram do veículo, os suspeitos fugiram do local levando as chaves da ambulância e a abandonaram.

A equipe médica conseguiu pedir ajuda através do rádio comunicador da ambulância. Eles prestaram queixa na Central de Polícia de Campina Grande e a Polícia Civil já está investigando o caso.

Foto: Felipe Valentim

G1

 


Garanta um desconto especial na sua certificação digital no Juristas Certificados Digitais

 

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Se passando por policiais homens invadem barraco e matam jovem, em JP

Um homem de 20 anos foi executado a tiros na madrugada desta quarta-feira (16) na Comunidade do “S” no bairro do Roger, em João Pessoa. De acordo com as informações…

PC identifica dois envolvidos em estupro coletivo, após a prisão de adolescente

O caso que chamou a atenção dos paraibanos nesta semana, quando uma jovem foi vítima de um estupro coletivo na cidade de santa Rita, teve um novo capitulo na tarde…