A Paraíba o tempo todo  |

Cinco são presos suspeitos do assassinato de duas jovens no Litoral Sul

As Secretarias de Segurança e da Defesa Social e da Administração Penitenciária da Paraíba apresentaram, nesta segunda-feira (25), detalhes da ação integrada que elucidou o assassinato de Katia Janielly Macena dos Santos, 22 anos, e Bruna Dara da Conceição Silva, 23 anos, no litoral sul do Estado, e resultou na prisão de Ednaldo de Santana Comissário, conhecido como ‘Jack Shan’, e Ricardo José Alves de Sena, o ‘Ricardinho’, suspeitos da prática dos homicídios. Outras três pessoas envolvidas com o crime também foram presas, entre elas estão dois apenados. O crime teria ligação com o tráfico de drogas e com o assassinato de integrantes de um dos grupos criminosos responsável pelo comércio de entorpecentes na região.

As vítimas estavam desaparecidas desde o dia 11 deste mês, e os corpos delas foram encontrados na sexta-feira (22) na Fazenda Massangana, zona rural de Cruz do Espírito Santo. Um crime, de acordo com as investigações policiais, motivado pelo tráfico de drogas. “Kátia Janielly era traficante e fazia uso de drogas, ficou endividada com o grupo criminoso de “Fia” e “Gata velha” e eles ficaram obrigando ela a pagar este dinheiro. Eles mandaram o sobrinho Breno fazer a cobrança várias vezes. Assustada, Katia Janielly pediu ajuda ao namorado Ednaldo para resolver a situação. Breno acabou sendo assassinado, e quando os tios dele descobriram, mandaram Ednaldo matar a própria namorada. Katia Janielly foi executada e a amiga Bruna, que não tinha nada com este caso, foi assassinada por saber demais, pois presenciou a morte do namorado Breno e outros crimes. Ednaldo matou as duas para mostrar fidelidade aos mandantes e de acordo com ele porque se não o fizesse ia morrer e teria os filhos assassinados”, disse o delegado de Pedras de Fogo, Paulo Martins.  

""

Segundo a Polícia, Ricardo e Ednaldo foram presos na terça-feira (19). Ednaldo foi solto e preso novamente na sexta-feira (22), quando confessou, em depoimento, ter atirado na cabeça da própria namorada, Kátia Janielly, e praticado outros homicídios e roubos na cidade de Pedras de Fogo. “Esta prisão que aconteceu na sexta-feira interrompeu uma série de homicídios que podiam acontecer, inclusive o Ednaldo, autor confesso de alguns assassinatos, seria a próxima vítima, como também um ex-presidiário que participou de vários crimes possivelmente seria executado. Esta prisão do Ednaldo nos fez desvendar alguns outros homicídios que estavam sob investigação e que agora a gente consegue chegar a autoria e encerrar o inquérito, pelo menos uns quatro casos foram concluídos. Do dia 3 de fevereiro até hoje registramos três mortes, as duas mulheres, Breno e de um homem conhecido como “Coroa”. Também estamos investigando três homicídios registrados no ano passado para saber a ligação deles com Ednaldo”, falou o delegado seccional de Alhandra, Aneilton Castro.

Os dois homens investigados como mandantes das mortes das mulheres, “Fia” e “Gata velha” são apenados do Presídio Silvio Porto, em João Pessoa. “Nós recebemos informações do delegado de Pedras de Fogo que dois homens do Silvio Porto teriam dado ordem para matar duas mulheres naquele município, de imediato os agentes penitenciário realizaram um levantamento e quando foi confirmada a participação dos dois presos entramos em contato com o delegado e toda a trama foi descoberta. Ainda estamos investigando como foi a comunicação destes apenados com a rua; pode ter sido nos dias de visitas que acontecem nas quartas-feiras e domingos. Nestas horas eles acabam dando ordem para o mundo externo. Mas o importante é que conseguimos ajudar a polícia na elucidação de mais um crime bárbaro. A integração entre a Secretaria de Administração Penitenciária e da Segurança e da Defesa Social está sendo fundamental para reduzir o número de crimes de homicídios no Estado”, explicou o secretário de Administração Penitenciaria, Sergio Fonseca.

O secretário da Segurança e da Defesa Social, Jean Nunes, também destacou o trabalho integrado entre as duas secretarias. “É importante ressaltar esta integração entre a Secretaria de Segurança e a de Administração Penitenciaria, além do trabalho integrado das Polícias Civil, Militar e Corpo de Bombeiros no combate ao crime na Paraíba, que teve como resultado a elucidação deste duplo homicídio bárbaro praticado contra duas mulheres. Vamos continuar fortalecendo estas ações. A imprensa e a população têm acompanhado que criamos uma Força Tarefa para combater os crimes contra instituições financeiras, também estamos trabalhando para reduzir o número de homicídios. Então, este fato que apresentamos aqui hoje como elucidado é mais um trabalho que, graças à interlocução das duas secretarias e suas forças operativas, conseguimos dar uma resposta para as famílias das vítimas e para a sociedade”, concluiu o secretario Jean Nunes.

 

Secom

 


Garanta um desconto especial na sua certificação digital no Juristas Certificados Digitais

 

    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe